Vitamina C é bom para a gripe?

5 minutos para ler

Não há evidência científica desta relação. Mas o nutriente é essencial para outras funções.

Quando você espirra, está com coriza ou apresenta algum dos sintomas de gripe ou resfriado, sempre tem alguém com a receita na ponta da língua: tome uma vitamina C. Esta sabedoria popular, amparada nos diversos benefícios que o nutriente oferece, no entanto, está mais para mito do que para verdade.

De fato, a vitamina C tem uma participação importante no sistema imunológico. Ela fortalece os glóbulos brancos, responsáveis por combater agentes infecciosos no organismo. Porém, apesar de a ciência já ter conseguido avanços incríveis em diversas áreas, ainda não existe uma cura para a gripe.

Em outras palavras, a vitamina C, para a maior parte da população, não tem capacidade de prevenir essas doenças. Em um pequeno grupo, no entanto, formado por atletas de altíssimo desempenho aeróbico, como maratonistas, a vitamina está associada com a diminuição do risco de contrair resfriados em até 50%.

Leia tambémresfriado ou alergia? Como saber a diferença?

Você deve estar se perguntando: e quanto aos sintomas? A vitamina C é capaz de amenizar dores de cabeça, irritação na garganta, entre outros?

Com relação aos sintomas, há algumas controvérsias. Apesar de especialistas serem unânimes quanto ao papel da vitamina na defesa do organismo, nem todos associam seu consumo com a diminuição dos sinais.

Portanto, enquanto muitos associam o seu uso com a diminuição dos sintomas de gripes e resfriados, outros afirmam que se trata de um benefício indireto, que não está exatamente relacionado com as doenças.

Controvérsias à parte, nutricionistas e médicos concordam com uma coisa: a vitamina C é um nutriente essencial para o nosso organismo, que cumpre diversos papéis. Por isso, elencamos abaixo alguns dos benefícios do seu consumo, listamos os principais alimentos ricos em vitamina C, além de alguns cuidados para que seu consumo seja adequado.

Benefícios comprovados do consumo de vitamina C

Fortalece os vasos sanguíneos: o nutriente é muito importante para a formação do colágeno e da elastina, estruturas que compõem majoritariamente os vasos sanguíneos. Por isso, a vitamina C ajuda a manter a elasticidade dos vasos e o bom fluxo sanguíneo, além de prevenir a formação de placas de gordura que geram o mal colesterol.

Ajuda a prevenir o envelhecimento precoce: por ter ação antioxidante, a vitamina C combate os radicais livres que aceleram o envelhecimento celular, o aparecimento das rugas e da flacidez.

Ajuda a evitar a anemia: isso ocorre porque seu consumo favorece a absorção do ferro. Por isso nutricionistas costumam recomendar, sempre que possível, a ingestão de uma fonte de ferro acompanhada por uma de vitamina C (exemplo: carne com suco de laranja).

Powered by Rock Convert

Leia tambémconsumo de inhame ajuda a emagrecer e previne a anemia

É boa para o humor: a deficiência do nutriente está relacionada com quadros de depressão, ansiedade, confusão mental, alterações de humor em geral, além de dores de cabeça, que deixam todo mundo irritado.

Onde encontrar Vitamina C?

Nutricionistas recomendam o consumo em alimentos, uma vez que os benefícios extrapolam a simples ingestão do nutriente. Sendo assim, o complemento em cápsulas é sugerido apenas em casos específicos, como em infecções, casos pós-cirúrgicos, gravidez etc.

Com relação aos alimentos, aqueles com maior teor de vitamina C costumam ser os frutos, como: Camu-camu, laranja, acerola, goiaba, mamão, morango, abacaxi, melão e tomate etc.

Mas atenção: você também pode encontrar o nutriente em verduras como brócolis, espinafre, aspargos, couve, repolho, rúcula e agrião.

Importante: o organismo absorve entre 70% e 90% da vitamina C ingerida, e se o consumo for exagerado, essa absorção cai devido a um mecanismo de controle de excesso de vitaminas. Por isso, nutricionistas sugerem o consumo de três a cinco porções de vitamina C de forma espaçada ao longo do dia.

Cuidados com o consumo

Por ser um nutriente volátil, a vitamina C é facilmente perdida quando exposta à ação do calor. Sendo assim, o consumo deve ser feito logo após a preparação, devendo-se evitar também que os alimentos fiquem estocados por longos períodos.

Ao preparar alimentos cozidos, dê preferência ao vapor, que preserva a vitamina C de forma mais eficaz. E, se for usar água para o preparo, evite deixar o alimento cozinhando por tempo demais (os nutrientes podem se perder).

Sem exageros: altas doses de vitamina C por longos períodos de tempo podem provocar diarreia, dor abdominal, náuseas, vômitos e disfunções no rim e na bexiga. Também já é comprovado o efeito do abuso do nutriente no aumento da incidência de cálculos renais em pessoas com predisposição genética.

Portanto, atenção: a frequência é muito mais benéfica do que a quantidade exagerada do nutriente.

Leia tambéma importância de lavar as mãos

Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário