Como identificar o tártaro dentário e qual a importância de retirá-lo? Saiba agora!

7 minutos para ler

A formação de tártaro dentário é um dos problemas bucais mais comuns e recorrentes nas clínicas odontológicas. Porém, isso não significa que não é necessário dar atenção ao cálculo dental, como também é chamado. Isso porque ele pode levar a complicações maiores.

O tártaro é resultado do acúmulo de resíduos nos dentes e também pode proliferar bactérias, assim, favorece quadros de inflamação e infecção bucal. Portanto, é fundamental fazer a remoção dele quanto antes.

Além de ser possível tratar o cálculo dentário, a prevenção é muito fácil de ser feita, e nós explicamos tudo neste artigo. Continue lendo para saber um pouco mais sobre esse problema bucal, de que maneira o tártaro se forma, a importância de removê-lo e como fazer a prevenção com a ajuda de um dentista.

O que é o tártaro dentário e como ele surge?

Sempre que comemos alguma coisa, resíduos ficam depositados no esmalte dentário. Eles aderem à superfície do dente ou se acumulam em cantinhos, como entre os dentes e até mesmo na região abaixo da gengiva. É dessa maneira que se forma a placa bacteriana.

Ela é composta por restos de comida, células da própria boca e bactérias. Afinal, esses micro-organismos se alimentam dos resíduos acumulados. Então, quando a boca não é higienizada corretamente, encontram o ambiente ideal para se proliferar.

A placa bacteriana por si só se caracteriza como um risco para a saúde bucal. Mas você sabia que é em função dela que se forma o tártaro dentário? Quando não removemos esses resíduos, eles sofrem um processo de calcificação, dando origem a esses cálculos.

Isso acontece porque a saliva é rica em sais minerais, então, quando ela entra em contato com os resíduos de alimento, aos poucos faz com que eles endureçam e fiquem aderidos ao esmalte dentário, dando origem ao tártaro.

Ele é fácil de ser identificado porque tem uma tonalidade amarelada e pode ser percebido principalmente nos vãos entre os dentes e bem perto da gengiva. Não pode ser removido com a escova de dentes, como acontece com a placa bacteriana, pois, conforme explicamos, ele é duro e fica aderido ao esmalte.

Por que precisamos remover o tártaro?

Você viu que o tártaro dentário se forma a partir da placa bacteriana. Isso significa que o cálculo também vai conter bactérias. Logo, o risco de desenvolver problemas bucais continua, e por isso é importante fazer a remoção desses resíduos calcificados.

As bactérias que se alimentam dos restos liberam algumas substâncias durante esse processo. Elas são muito agressivas, e o organismo reage ao seu contato iniciando processos inflamatórios como a gengivite, que atinge a gengiva.

Porém, não para por aí. Se a gengivite não receber o tratamento adequado, outras estruturas bucais ficarão inflamadas também. O problema se estende para o periodonto, conjunto de tecidos que servem como base de sustentação para os dentes. Esse problema é chamado de periodontite.

Ela é uma inflamação mais grave e intensa que pode também ser infecciosa. É preocupante porque atinge os tecidos que mantêm os dentes presos na boca. Com o tempo, ocorre uma perda deles, que acabam ficando fracos e não conseguem mais segurar a dentição. Com isso, os dentes podem até mesmo cair.

Powered by Rock Convert

Já não bastasse todas essas complicações, as bactérias que estão presentes no tártaro dentário podem migrar para a corrente sanguínea. Quando isso acontece, elas podem se alojar em órgãos importantes, como os pulmões e até mesmo o coração. Nesse último caso, favorecem quadros de endocardite bacteriana.

Sem falar que o tártaro dentário contribui para o mau hálito e prejudica bastante a estética dos dentes, afinal, tem uma tonalidade mais escura do que o esmalte e contrasta com ele. Então, quando a pessoa sorri, passa a impressão de dentes mal cuidados e sujos.

Como evitar a formação do tártaro dentário?

O tártaro dentário é uma condição preocupante por causa das complicações que desencadeia, mas a boa notícia é que fazer a prevenção é muito fácil. Basicamente, precisamos evitar que a placa bacteriana se forme. Para isso, basta caprichar na higiene bucal.

Escolha uma escova de dentes com cerdas macias e um creme dental de boa qualidade. Escove os dentes após cada refeição ou pelo menos duas vezes por dia. Antes de dormir, dê uma atenção ainda mais especial, pois quando a boca fica parada as bactérias se proliferam com mais facilidade.

Sendo assim, no final do dia, além de escovar muito bem os dentes, use o fio dental. Passe em todos os vãos dos dentes, inserindo gentilmente na borda da gengiva. Para finalizar, se quiser, você pode usar um enxaguante bucal, que vai deixar o hálito mais fresco. Não se esqueça de escolher uma formulação sem álcool.

Outra forma de prevenir a formação do tártaro dentário é evitar o consumo excessivo de alimentos que formam a placa. Esse é o caso daqueles muito açucarados, dos ricos em carboidratos simples e amidos. Mas todas essas medidas precisam ser complementadas com a visita regular ao dentista.

De que maneira o dentista ajuda na prevenção?

Mesmo quando caprichamos na higiene bucal, alguns resíduos de alimento podem continuar em nossa boca. Isso acontece porque eles conseguem acessar a região subgengival, onde as cerdas da escova e o fio dental não alcançam.

Por isso, é muito importante complementar os seus cuidados caseiros com a visita regular ao dentista. Ela precisa acontecer no mínimo a cada 6 meses, mas algumas pessoas podem precisar de uma frequência maior, como a cada 3 ou 4 meses. Então, é válido seguir a recomendação do especialista.

As consultas periódicas são importantes para fazer a profilaxia dentária, ou seja, a limpeza de consultório. Aqui, o dentista vai utilizar produtos e instrumentos para fazer uma verdadeira faxina em sua boca, removendo todos os resíduos que estão nas áreas escondidas.

Também vai fazer a tartarectomia, uma técnica específica para remoção do tártaro que possa ter se formado, seja entre os dentes ou abaixo da gengiva. Assim, você vai ter certeza de que a sua boca está realmente limpa e livre de bactérias e restos de alimento.

Não se esqueça de que o tártaro dentário se forma na boca de pessoas de todas as idades, então, o acompanhamento com o dentista precisa acontecer desde os primeiros anos da infância e seguir até a terceira idade. Dessa forma você vai garantir um sorriso saudável e bonito, prevenindo problemas mais graves.

Como o tártaro é bastante comum, ajude a divulgar essas informações. Compartilhe este texto em suas redes sociais para alertar os seus amigos!

Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário