De repente, você sente uma aflição intensa ao saborear um sorvete ou beber algo gelado. Ela também pode aparecer na hora do cafezinho ou ao degustar comidas quentes.

Estamos falando da sensibilidade nos dentes, problema bastante comum que pode afetar pessoas em qualquer idade, mas especialmente os adultos. Você tem passado por isso? Então saiba: é preciso procurar um dentista para investigar a causa e providenciar o devido tratamento.

Antes, porém, que tal já descobrir algumas formas de prevenir esse problema? Para tanto, responderemos neste post às principais dúvidas das pessoas sobre sensibilidade nos dentes, mostrando quais são as causas e como cuidar. Acompanhe a leitura!

1. O que exatamente causa sensibilidade nos dentes?

Você pode até começar a sentir a sensibilidade nos dentes, aquela aflição quando tomamos algo muito gelado ou o contrário, quando ingerimos comidas muito quentes.

Saiba desde já: trata-se de uma condição que se desenvolve aos poucos na sua boca, na maioria dos casos surgindo entre os 20 e os 50 anos de idade.

Funciona assim: com aquela região mais macia do dente (a dentina) ficando exposta, você acaba sentindo um tipo de dor bem específica. Isso porque há nervos no interior dos dentes que ficam mais sensíveis com a exposição da dentina, o que provoca essa dor aguda e rápida, que chamamos de sensibilidade.

2. Que situações provocam esse tipo de dor?

Retração da gengiva

Se sua gengiva diminui de tamanho, deixa aparecer uma camada do dente que não é protegida pelo esmalte. A essa camada dá-se o nome de colo, que, sensível ao frio e ao calor, acaba causando a dor.

Cárie

A cárie provoca dor quando chega a essa camada do dente que mencionamos — a dentina. Por isso, por menor que seja a sensibilidade nos dentes, é preciso recorrer ao dentista.

Infiltração ou restauração quebrada

Se sua restauração sofrer uma fratura, provavelmente o primeiro sintoma será dor ou sensibilidade nos dentes. Isso porque nem sempre conseguimos perceber a quebra apenas olhando no espelho. De toda forma, ela precisa ser refeita para que tudo volte ao normal.

Má oclusão

A má oclusão pode ser congênita ou causada por uma restauração nova que ficou mais alta que os demais dentes. Seja como for, se a mordida estiver desequilibrada por algum motivo, pode ser que ocasione a sensibilidade nos dentes.

Desgaste do esmalte

Muitas situações podem resultar no desgaste e na desmineralização do esmalte, o que deixa a dentina exposta. Podemos citar como exemplo o consumo de alimentos e bebidas muito ácidas, como refrigerante, além do refluxo, que pode ser provocado por gastrites, anorexia ou bulimia, além do uso de alguns tipos de drogas, em especial aquelas que têm a metanfetamina como base.

3. Como acabar com a sensibilidade nos dentes?

O primeiro passo a tomar ao sentir esse desconforto pela primeira vez é, certamente, acionar seu plano odontológico e procurar um dentista. Só um profissional capacitado conseguirá identificar qual condição pode estar causando a sensibilidade nos seus dentes.

Antes que a situação se instaure, porém, dá sim para se prevenir, fazendo a profilaxia dentária. Isso significa que você deve visitar regularmente o dentista para fazer uma limpeza mais profunda, avaliar como está o esmalte dos dentes, retirar o tártaro e evitar as cáries.

4. O que usar para tratar essa sensibilidade?

Nada de receitas caseiras! O que você deve fazer é seguir todas as recomendações do seu dentista. Primeiramente, ele vai avaliar quais são as causas da sensibilidade nos dentes e qual a gravidade do problema. Depois, indicará o tratamento ideal para amenizar sua dor.

O profissional pode identificar a necessidade de refazer uma restauração, por exemplo, o que já costuma aliviar a dor da sensibilidade. Ele também pode detectar a demanda por uma aplicação de flúor, bem como de uso de selante dental, que fortalece o esmalte do dente, protegendo novamente a camada que esconde a dentina.

Nos casos de retração da gengiva, o dentista provavelmente vai rever os procedimentos de higienização dos dentes para tentar reverter o problema, reduzindo assim a dor.

Há também situações em que a dentina fica exposta por causa do bruxismo (ranger dos dentes) durante a noite. Para tanto, placas miorrelaxantes podem ser usadas durante o sono a fim de proteger contra o problema.

Por fim, por conta própria, a única providência que você já pode tomar é se despedir dos refrigerantes, além de evitar alimentos que contenham muito ácido. Pronto para fazer esse compromisso pelo bem dos seus dentes?

5. Como agem os cremes dentais que atacam a sensibilidade?

Há sim cremes dentais que prometem aliviar a sensibilidade nos dentes, mas é preciso conversar com um dentista para saber se eles são indicados para seu caso e se realmente terão efetividade. Há pastas específicas para esse fim, em especial aquelas que têm uma concentração maior de flúor.

Esses cremes ajudam a bloquear a passagem da sensação de dor na superfície para a região onde está o nervo. Mas eles devem ser usados regularmente para começar a fazer efeito e realmente ajudar a acalmar a dor, ok? Procure usar pastas menos abrasivas e que também ajudem a proteger contra cáries. Além disso, use uma escova de dente com cerdas macias.

6. Como aliviar o incômodo após o clareamento dental?

Atualmente, há inúmeros tipos de procedimentos para o clareamento dos dentes, com altos índices de satisfação dos pacientes. A fim de conseguir sorrisos mais bonitos, as pessoas têm procurado cada vez mais por esse tipo de tratamento. O detalhe é que, na maioria dos casos, eles trazem um efeito colateral: a sensibilidade nos dentes.

A boa notícia é que há maneiras de evitar esse sofrimento ao fazer o clareamento. Consulte seu dentista sobre elas! Em geral, é preciso fazer um procedimento simples antes do tratamento para garantir a eficácia e evitar a sensibilidade nos dentes. A dessensibilização é feita a partir da aplicação de um flúor em gel minutos antes do clareamento.

Como você viu, a sensibilidade nos dentes está relacionada a outros problemas de saúde bucal, que podem ser facilmente detectados em uma consulta com o dentista. Melhor que isso, porém, é apostar na prevenção, fazendo visitas frequentes ao odontologista!

Por falar nisso, você conhece os tipos de dentista e suas áreas de atuação dentro da Odontologia? Leia este nosso outro post para aprender mais um pouco sobre o assunto!

Escreva um comentário

Share This