Dizem que o organismo nos envia sinais a cada vez que algo não está bem conosco. Com a saúde bucal, não é diferente. O sangramento na gengiva, por exemplo, pode indicar uma série de problemas relacionados à nossa saúde em geral, muito além da falta de higienização adequada dos dentes.

Provavelmente, em algum momento da vida, você já deve ter passado por isso, percebendo que a mucosa está machucada ao escovar os dentes ou passar o fio dental. A questão é que esse problema não deve ser considerado normal e é preciso procurar um dentista para fazer uma avaliação das causas do sangramento.

Você está passando por essa situação e quer entender melhor o assunto? Então, continue a leitura e entenda o que pode causar sangramento na gengiva e quais são os possíveis tratamentos para o problema!

Veja 11 causas mais recorrentes do sangramento na gengiva

O sangramento na gengiva pode ser sinal de algum agravo de saúde bucal ou até mesmo de doenças mais graves. Veja, a seguir, quais são as causas mais frequentes!

1. Gengivite

Essa é, provavelmente, a situação mais comum entre as que provocam o sangramento da gengiva. Trata-se de uma inflamação no local, que pode, ainda, causar inchaço, dor e vermelhidão. A gengivite é notada, normalmente, quando escovamos os dentes ou passamos o fio dental.

Como dói, as pessoas costumam descuidar anda mais da higiene bucal, o que pode agravar o problema. Outros sintomas decorrentes da gengivite são mau hálito e gosto desagradável na boca. Isso porque a doença é causada pela presença de bactérias acumuladas no espaço entre os dentes e a gengiva.

Esse acúmulo frequentemente favorece a formação de tártaro, provocando a sensibilidade maior na gengiva e facilitando o sangramento. É preciso muito cuidado, pois, se não for tratado, o problema pode se agravar, levando à periodontite, uma forma mais avançada da gengivite.

2. Falta de vitamina K

Sendo a vitamina K fundamental para ajudar o organismo em seus processos de coagulação, sua falta pode estar associada ao sangramento da gengiva. Essa é uma situação que apenas um especialista poderá identificar — daí a importância de fazer consultas regulares ao odontologista.

A vitamina K pode ser absorvida a partir do consumo de diversos alimentos, como rúcula, agrião, brócolis, espinafre e alface. Ela também está presente no azeite de oliva, no abacate, no fígado e no ovo.

3. Diabetes

Para os diabéticos, o sangramento da gengiva é comum, mas não deve ser negligenciado, em especial se perdurar por muito tempo. Ele ocorre, também, pela dificuldade de coagulação do sangue.

Por isso, é preciso ter cuidado na hora da escovação, procurando usar escovas com cerdas mais macias e não imprimir força nos movimentos de limpeza.

4. Má alimentação

Assim como a falta de vitamina K, a deficiência de outros nutrientes pode favorecer o sangramento da gengiva, como no caso das vitaminas A, B e C. Isso porque a gengiva pode ficar enfraquecida, favorecendo as hemorragias durante a escovação ou qualquer outro tipo de atrito.

5. Tabagismo

Todos sabem o quanto fumar pode ser prejudicial à saúde, mas nem sempre o hábito está associado ao sangramento da gengiva. Isso ocorre porque o uso do tabaco pode prejudicar os tratamentos na boca e causar danos na sua dentição.

Da mesma forma que as situações apontadas anteriormente, os fumantes podem sentir o sangramento ao escovar os dentes ou mastigar alimentos muito duros.

6. Hábitos irregulares de higiene

Muitas pessoas passam meses usando a mesma escova de dentes, sem realizar a troca periódica, essencial para que se mantenha a eficiência na higienização. Outras não têm o hábito de usar o fio dental diariamente, negligenciando a limpeza nos lugares onde o acesso é mais difícil.

Tudo isso favorece a formação de placa bacteriana e de tártaro, os principais causadores da gengivite. A melhor maneira de prevenir o problema, além de manter a higiene bucal em dia, é visitar o seu dentista ao menos duas vezes por ano, para que seja feita a limpeza periódica preventiva.

7. Uso de medicamentos

Alguns remédios podem enfraquecer a gengiva, provocando sangramentos. Isso acontece porque alguns medicamentos causam a redução da produção de saliva, favorecendo a proliferação de bactérias.

Se for esse o seu caso, será preciso esperar o término do tratamento ou conversar com seu médico para que ele indique alternativas.

8. Dentição falha

Se a sua mordida não for bem alinhada, em especial por causa da falta de um ou mais dentes na boca, isso pode favorecer o sangramento da gengiva. O problema, nesse caso, decorre do atrito causado pelos dentes diretamente nela, deixando-a sensível e favorecendo a hemorragia.

Uma solução para esse caso, se houver recomendação do dentista, é corrigir a falta dos dentes.

9. Imunidade baixa

Pessoas que têm alguma doença imunossupressora ou apresentam imunidade baixa causada por outros fatores também são mais propícias ao sangramento na gengiva. Entre esses agravos, está a anemia. Mais uma vez, são as bactérias as vilãs, pois sua proliferação é favorecida pela baixa imunidade.

10. Gestação

Mulheres grávidas podem passar por esse problema em algum momento durante a gestação, já que mudanças hormonais podem fazer com que haja maior sensibilidade na gengiva.

11. Próteses mal encaixadas

Em algumas situações, próteses mal feitas podem causar hemorragia, assim como os aparelhos ortodônticos, caso provoquem lesões na boca. Daí a importância de consultar-se sempre com profissionais de confiança antes de fazer qualquer procedimento de saúde bucal.

Conheça os tratamentos mais comuns para o problema

Os tratamentos para sangramento da gengiva variam de acordo com as causas do problema. Em geral, uma boa higiene bucal e visitas regulares ao dentista ajudam a prevenir as hemorragias. Somente o profissional será capaz de determinar com precisão o que está provocando a situação e indicar os caminhos para que a irritação ceda.

No caso da gengivite, normalmente, a limpeza e a retirada das placas bacterianas e do tártaro são suficientes para resolver a questão. Dependendo da gravidade, pode ser necessário o uso de medicamentos para a eliminação das bactérias.

O dentista poderá indicar, caso o sangramento não esteja relacionado diretamente com a saúde bucal, a consulta com outros profissionais de saúde para determinar se há falta de nutrientes no organismo ou se alguma doença mais grave pode estar provocando as hemorragias.

Sendo assim, vale ressaltar que o sangramento na gengiva não pode ser considerado normal. Por isso, a consulta regular com o dentista é importante para a prevenção e para a determinação das causas do problema, indicando os melhores procedimentos para tratá-lo.

Você está interessado em conteúdos relacionados à saúde bucal? Então, cadastre-se de forma gratuita em nosso site e receba a nossa newsletter como outras informações diretamente na sua caixa de e-mails!

Escreva um comentário

Share This