Próteses dentárias: quais os principais tipos e suas indicações?

9 minutos para ler

As próteses dentárias estão entre as principais tecnologias odontológicas da atualidade. A sua utilização oferece inúmeras vantagens para os pacientes, tanto pela questão estética quanto pela qualidade de vida, que é altamente beneficiada com a colocação de novos dentes.

No entanto, ao falarmos sobre próteses, estamos mencionando uma série de procedimentos diferentes. Por isso, precisamos aprofundar esse assunto, a fim de distinguir os tipos de prótese existentes, suas principais funções e características mais marcantes.

Pensando nisso, preparamos um artigo para explicar para você quais são os tipos de prótese mais comuns, para que eles servem e quando a sua colocação pode ser necessária. Além disso, falaremos sobre os benefícios trazidos por esse tipo de tratamento. Vamos lá? Boa leitura!

Quais são os principais benefícios das próteses dentárias?

As próteses dentárias são opções revolucionárias para garantir o retorno da qualidade de vida dos pacientes que perderam um ou mais dentes, independentemente de quais tenham sido as causas dessa situação.

Ao perder estruturas dentárias, o indivíduo fica suscetível a uma série de complicações, que podem ir desde dores de cabeça frequentes a dificuldades na mastigação e na fala. Assim, há uma redução na qualidade de vida, que pode ser notada tanto pelas questões de saúde quanto por uma queda na autoestima e problemas nas relações pessoais.

Por isso, utilizar as próteses é sempre uma boa maneira de fazer com que esses pacientes voltem a sorrir e possam, de modo geral, ter uma saúde muito mais satisfatória.

Quais são os tipos de próteses dentárias mais comuns?

Agora, chegou o momento de conhecermos os principais tipos de próteses dentárias, suas funções e as indicações mais frequentes de cada uma delas. Tudo pronto? Então, vamos lá!

Prótese total

A prótese total é, como o próprio nome já indica, aquela que substitui todos os dentes da boca. Esse tipo é recomendado para indivíduos que sofreram a perda dentária total, desde que ainda haja estrutura suficiente para a realização do procedimento.

As próteses desse tipo podem ser imediatas (quando são feitas logo após a extração de um ou mais dentes) ou convencionais.

Estas são popularmente conhecidas como dentaduras e podem ser removidas para uma limpeza mais efetiva do produto. Sua higienização, é importante destacar, deve ser levada a sério, para garantir a integridade do item por muito mais tempo.

As próteses dessa categoria são indicadas para as pessoas que não podem arcar com um implante total ou que, por alguma outra razão, não podem realizá-lo. Além disso, são bastante seguras e devolvem a qualidade de vida aos pacientes de maneira eficaz.

Prótese parcial fixa

As próteses parciais dessa modalidade são indicadas para indivíduos que perderam apenas alguns dentes, substituindo-os de forma fixa. Para isso, conta-se com a presença de dentes próximos aos que foram perdidos para que sirvam de suporte.

Normalmente, essas próteses são feitas de materiais como porcelana. A higiene deve ser realizada como de costume, ou seja, utilizando ferramentas como a escova e o fio dental. Isso garantirá a maior durabilidade do produto.

É preciso observar que os dentes atuais são desgastados para confecção da prótese. Por isso, é importante avaliar todas essas questões antes de decidir o tipo de prótese indicada.

Prótese parcial removível

As próteses parciais removíveis são popularmente conhecidas como roach e podem ser tiradas da boca para a higienização. A indicação de periodicidade da limpeza pelos profissionais da saúde bucal é após todas as refeições.

Há alguns fatores que podem fazer com que se opte por esse procedimento, como a fragilidade dos dentes vizinhos à prótese ou problemas de saúde que impossibilitem a realização de uma intervenção fixa.

Próteses flexíveis

As próteses flexíveis são soluções modernas e ergonômicas que estão, aos poucos, sendo implementadas no dia a dia da odontologia. A premissa é serem mais maleáveis, já que são produzidas com um material menos rígido — a poliamida de alto impacto. São provisórias somente até a confecção dos implantes.

Apesar da flexibilidade, esse tipo de prótese é altamente resistente. Ainda, ele é bastante confortável, o que faz com o que o período de adaptação seja consideravelmente menor.

Powered by Rock Convert

Essas próteses são removíveis e, assim como as mais rígidas, devem ser submetidas a uma limpeza bastante rigorosa, a fim de evitar problemas no produto e, claro, na boca do paciente. A maior indicação é para casos de pessoas que têm dificuldade de adaptação a outros modelos.

Como cuidar das próteses dentárias?

Depois de passarmos pelos tipos de próteses dentárias que existem, chegou a hora de falarmos dos cuidados que devem ser tomados diariamente. Os hábitos descritos abaixo são essenciais na hora de garantir higiene, proteção, durabilidade e saúde.

Higienização reforçada

Prótese não é motivo para deixar a escovação de lado. Muito pelo contrário, é preciso ficar ainda mais atento a possíveis desgastes e acúmulos de resíduos. Assim, escove a prótese todos os dias da mesma forma que faria com seus dentes, só que sem creme dental. Várias marcas de pasta de dente podem prejudicar esses produtos.

Você pode usar sabão neutro e uma escova com cerdas brandas (projetadas especificamente para a escovação desse objeto). Além disso, utilize apenas água para limpar a superfície.

Lave-as sempre após as refeições, enxaguando bem debaixo da água corrente para a remoção completa de todas as sobras alimentares. Também é possível usar um limpador de próteses — que não substitui a escovação — ou pastilhas especiais.

O fio dental funciona como um aliado indispensável para a higiene reforçada, mas atenção: para os modelos fixos, é preciso ter cuidado redobrado na hora de remover os restos de comida, já que movimentos bruscos podem machucar a gengiva e danificar o material.

Na hora de dormir, coloque sua prótese em uma solução de limpeza (sempre com água filtrada), garantindo uma pausa de 6 a 8 horas. Isso permite que suas gengivas descansem durante a noite.

Atenção ao manusear

Para pacientes que usam próteses móveis, é possível realizar o manuseio em casa, sempre com o cuidado necessário. Tanto para retirada quanto para aplicação, é preciso prestar atenção para que as estruturas da boca não sofram nenhum tipo de machucado ou corte. Na hora de dormir, para evitar traumatismos às mucosas, a recomendação é retirar a prótese.

Sempre que for manipular a peça, coloque-a em um recipiente com água ou sobre uma toalha dobrada. Próteses são extremamente delicadas e podem quebrar durante uma queda. Além disso, nunca deixe que sequem, mantendo-as sempre submersas em solução limpadora ou água fria. Assim, você evita que o material perca vida útil.

Por fim, caso as juntas de suas próteses sejam de metal, tenha muito cuidado com os limpadores, pois esse tipo de solução pode fazer com o que metal se deteriore, e nunca use água quente para qualquer limpeza ou imersão, porque elas podem se deformar.

Adaptação da alimentação

Para não sofrer nenhum problema e ter uma vida normal depois das próteses, é essencial tomar os cuidados corretos com a alimentação, principalmente na fase de adaptação. Faz parte desse novo começo reaprender a comer. E tudo bem: com o tempo, você recupera a confiança e fica confortável para saborear seus pratos favoritos.

O recomendado é começar com comidas fáceis de mastigar. Assim, foque opções macias, como:

  • peixes;
  • ovos;
  • verduras e legumes cozidos;
  • sorvetes;
  • sopas.

Esse tipo de alimento não exerce uma pressão muito grande na boca enquanto a mastigação acontece, fazendo com que você se sinta mais confortável. Outra dica é tentar não morder usando os dentes da frente, já que esse movimento pode deslocar as próteses dentárias. Procure mastigar uniformemente dos dois lados, garantindo que sua gengiva treine.

Realização de visitas ao dentista

Nunca se esqueça das visitas regulares ao dentista. Com a presença de um objeto estranho na boca, o acúmulo de bactérias pode ser maior. Apesar disso, a frequência adequada é a cada 6 meses, a mesma de quem não usa prótese.

Com a inspeção de um profissional, é possível analisar o estado das próteses e a saúde da boca de cada paciente, evitando problemas como gengivite e cárie. Além disso, pode ser preciso realizar ajustes para facilitar o uso.

Com os cuidados indicados pelo dentista, consegue-se aumentar o tempo útil do objeto e diminuir qualquer risco de complicações e desconforto durante o uso.

As próteses dentárias são boas alternativas para quem precisa de mais qualidade de vida e saúde. Afinal, os cuidados com a boca são fundamentais para garantir que todo o corpo esteja devidamente saudável, não é mesmo? Converse, então, com o seu dentista de confiança e descubra se esse procedimento é indicado para o seu caso!

E aí, você já conhecia todos os tipos de próteses e essas dicas essenciais para os cuidados diários? Comente aqui o que você achou do nosso conteúdo e como é sua rotina usando próteses dentárias!

Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário