Você sabe qual é a relação entre os problemas bucais e a idade? Como muita gente acredita que só pessoas de mais idade são afetadas por questões nessa área, resolvemos produzir um pequeno manual para mostrar que não é bem por aí.

Na verdade, problemas bucais podem atingir pessoas de qualquer faixa etária! Entenda: cada fase da vida traz consigo diferentes alterações, sendo que, a vida toda, a prevenção deve ser feita com consultas regulares ao dentista.

Há até pouco tempo, os cuidados de maior parte da população brasileira em relação à saúde bucal eram bem limitados.

Seja por falta de informação, dificuldade de acesso ou por puro medo do dentista, dados de 2012 mostravam que cerca de 30% dos brasileiros nunca tinha ido a uma consulta com esse profissional. Um número bastante impressionante, não acha?

Felizmente, esse espantoso quadro está mudando. Hoje em dia, mais e mais pessoas têm se preocupado em marcar consultas periódicas com o dentista. O detalhe é que, mesmo assim, o trabalho ainda está longe de acabar. Nessa missão, a informação é a melhor forma de democratizar o acesso à saúde.

Mas, afinal, quais são os problemas bucais que mais comumente atingem diferentes períodos da nossa vida? Como é feita a prevenção de doenças odontológicas em cada fase? Continue a leitura e confira a resposta para essas e tantas outras perguntas!

Saúde bucal do bebê

O trabalho de um dentista envolve muito mais que simplesmente cuidar dos dentes. Na prática, esse profissional avalia o estado de saúde de todas as estruturas bucais, incluindo a língua, o céu da boca e as gengivas, além de ensinar os pacientes a cuidar adequadamente dessas diferentes áreas.

Sabendo disso, já fica muito mais fácil entender por que os cuidados com a boca do bebê não devem ser iniciados só com o surgimento dos primeiros dentinhos, certo? Manter a boca saudável é uma atividade que precisa ser feita desde o início da vida da criança, prevenindo problemas como o surgimento de infecções e a proliferação de bactérias e fungos.

Para isso, basta usar uma gaze ou fralda macia, previamente umedecida em água filtrada ou fervida, para limpar a boquinha do bebê.

Suavemente, faça movimentos de dentro para fora em toda a cavidade oral da criança, após amamentar ou depois de fazer o uso de mamadeiras. Esse procedimento deve ser feito todos os dias até o nascimento dos primeiros dentes, combinado?

Depois desse período, a escovação pode ser iniciada, sempre com produtos específicos para a faixa etária do bebê. Esse processo é essencial para prevenir problemas como a cárie de mamadeira, causada pelos resíduos de açúcar deixados pelo leite nos dentes.

Saúde bucal das crianças

Não é nada fácil fazer com que as crianças cuidem da sua saúde bucal da forma adequada, não é mesmo? Distraídos e impacientes, os pequenos parecem sempre ter algo mais importante para fazer. No entanto, os responsáveis devem sempre incentivar a escovação diária e todos os demais cuidados necessários.

De acordo com dados divulgados pelo governo, mais de 50% das crianças até 12 anos sofre com a presença de cáries. Esse número pode ser atrelado a hábitos inadequados de higiene bucal e também à introdução de alimentos menos saudáveis na dieta, como doces e refrigerantes.

É essencial, portanto, prestar atenção à alimentação oferecida aos pequenos, além de garantir que a escovação seja feita preferencialmente 3 vezes ao dia. Com atenção e paciência, ainda é preciso ensinar que a língua e as gengivas não devem ficar de fora do processo, viu?

Além disso, é importante introduzir o uso do fio dental, que deve ser usado ao menos uma vez por dia. Isso porque ele ajuda a remover restos de alimentos de difícil acesso, aqueles que a escova não consegue alcançar, reduzindo consideravelmente as chances do aparecimento de certos problemas, como a cárie.

Powered by Rock Convert

Saúde bucal dos adolescentes

Ah, a adolescência! Repleta de descobertas e novidades, essa fase ainda inaugura o surgimento de muitos problemas referentes à autoestima da galerinha. Isso sem falar que as responsabilidades normalmente aumentam nessa etapa, seja em relação aos estudos, à conquista do primeiro emprego ou mesmo a questões de âmbito pessoal.

E como a imagem é extremamente importante para os adolescentes, é de crucial importância que os cuidados bucais sejam feitos da forma adequada para evitar problemas não só bucais, mas também emocionais. Nessa fase, as ocorrências mais comuns são as cáries (sim, elas novamente) e a halitose.

Outro ponto de atenção nesse período diz respeito à erupção dos sisos, que acontece normalmente depois dos 16 anos. Esse processo pode ser doloroso, com os dentes nem sempre saindo da forma correta. A necessidade de extração deve ser discutida nas consultas regulares com o dentista, que pode solicitar exames de imagem para avaliar melhor a questão.

O uso de aparelhos ortodônticos também é, muitas vezes, recomendado pela maioria dos profissionais. Nesses casos, os cuidados com a boca devem ser redobrados, a fim de evitar que problemas surjam por trás do metal usado nesse produto.

Saúde bucal dos adultos

Durante a fase adulta é que começam a aparecer os primeiros sinais de desgaste dentário. E o problema parece ficar mais complicado por esse ser um período de grandes responsabilidades.

Afinal, com a rotina caótica que normalmente vivemos, parece difícil tirar um tempo para cuidar adequadamente da saúde bucal, não é verdade?

Uma das principais ocorrências nos adultos é a temida halitose, que pode ser causada pelos mais diversos fatores, que vão desde a falta de cuidados com a higiene da boca a problemas secundários, como aqueles de origem estomacal. De toda forma, só um dentista de confiança conseguirá determinar com precisão a causa do mau hálito.

Outros problemas bastante comuns são a gengivite, a periodontite e, novamente, a cárie. A boa notícia é que todas essas condições podem ser facilmente prevenidas com uma escovação completa e idas regulares ao consultório odontológico, já que estão associadas à formação de placa bacteriana.

Por essas e outras, nada de descuidar dos cuidados diários na fase adulta! Com apenas alguns minutos todos os dias, é mais que possível se prevenir de maiores dores de cabeça no futuro.

Saúde bucal dos idosos

Engana-se quem pensa que a chegada da terceira idade é desculpa para descuidar da saúde bucal. Com o crescimento frequente da expectativa de vida da população, os cuidados nessa etapa se tornaram ainda mais importantes para manter a qualidade de vida dos idosos por muitos e muitos anos.

Nessa faixa etária, os maiores danos normalmente acontecem pelo uso de certos medicamentos que podem danificar os dentes e pela incidência de determinadas doenças que podem afetar a região, como a osteoporose.

Além disso, alterações naturais da idade também contribuem para o surgimento de problemas, como é o caso da redução da produção de saliva. A xerostomia, nome dado a esse fenômeno, deixa a boca mais suscetível ao surgimento de cáries. Felizmente, há tratamento.

Outro problema bastante comum nessa etapa é o aparecimento de lesões, geralmente por conta das próteses. A sensibilidade nos dentes também não pode ser descartada, uma vez que acomete muitas pessoas na terceira idade. Por tudo isso e muito mais, consultas regulares nesse período são essenciais para tratar e prevenir diversas ocorrências bucais.

Viu só como os problemas bucais e a idade têm tudo a ver? Por conta disso, manutenções periódicas são essenciais no decorrer de toda a vida do paciente. Então não se esqueça: nada de descuidar de suas consultas para ter uma boca sempre saudável!

Quer conferir outros de nossos conteúdos para ficar por dentro de todas as novidades sobre o tema? Basta seguir nossos perfis nas redes sociais! Estamos te esperando no Facebook, no Twitter e no LinkedIn!

Powered by Rock Convert

Escreva um comentário

Share This