Parestesia após extração do siso: o que é, qual a causa e como tratar

6 minutos para ler

A extração do terceiro molar é uma cirurgia bastante comum e considerada simples. Mesmo assim, como qualquer procedimento cirúrgico, podem acontecer complicações, como a parestesia de lábio, condição que leva à perda da sensibilidade do lado em que o dente foi extraído.

Essa é uma reação que não acontece em todas as cirurgias, mas é um risco que existe, sendo muito importante conversar com o cirurgião-dentista para se informar sobre essa e outras complicações, bem como sobre a probabilidade de elas acontecerem após o tratamento.

A boa notícia é que a parestesia nem sempre é irreversível, uma vez que, em muitos casos ela pode ser tratada e curada. Neste artigo, explicaremos exatamente o que ela é, quando ocorre, suas causas e sintomas, entre outras informações, para que você entenda melhor sobre esse assunto. Continue lendo!

O que é parestesia?

A retirada do terceiro molar é um procedimento muito recorrente nos consultórios odontológicos. No entanto, o cirurgião-dentista precisa tomar alguns cuidados na extração dos sisos, pois essa intervenção também oferece riscos de complicação.

Uma delas, como vimos, é a parestesia, que consiste na perda da sensibilidade na região da boca ou face, geralmente no lábio inferior. Essa reação acontece devido a um trauma ou lesão em um nervo.

Quando a parestesia ocorre?

Geralmente, a parestesia do siso acontece por causa de lesões no nervo alveolar, localizado no interior da mandíbula e que confere sensibilidade ao lábio inferior e à região do queixo. Porém, outros nervos também podem ser afetados, como aquele responsável pela sensibilidade da língua e alguns da face.

De um modo geral, a parestesia é uma complicação que pode acontecer em qualquer procedimento cirúrgico, não sendo exclusiva da cirurgia de extração do siso, porém, por causa da proximidade desse dente com o nervo alveolar, é bem mais recorrente nesses procedimentos.

Qual é a causa da parestesia?

O que causa a parestesia de lábio não é a extração do dente em si, uma vez que a retirada dele não provoca nenhum tipo de problema para o nervo. Na verdade, alguns fatores durante ou após o procedimento é que desencadeiam essa sintomatologia.

Os sintomas podem surgir, por exemplo, quando a picada da anestesia é realizada sobre o nervo. Também existe a possibilidade de uma compressão dele devido a inchaço, ou ainda outras intercorrências durante o procedimento, como uma eventual fratura do osso mandibular, podem desencadear esse problema.

Daí a importância de a cirurgia ser realizada por um profissional experiente e bem capacitado, uma vez que esse é um risco que, muitas vezes, pode ser evitado com a boa atuação dele.

Além disso, há casos em que o siso está muito próximo do nervo alveolar, existindo o risco de parestesia. Nessas situações, é muito importante o esclarecimento do cirurgião-dentista ao paciente, para que ele saiba que o risco desse quadro é muito alto.

De que forma a parestesia é identificada?

Na parestesia do siso, o paciente manifesta sintomas que são muito característicos de lesão nos nervos. Esses sinais e desconfortos são localizados de acordo com o nervo que foi afetado, como explicamos, podendo se manifestar no lábio inferior, na região do queixo, na língua ou na face.

Powered by Rock Convert

É possível identificar o quadro observando reações que duram mais tempo do que o esperado após o efeito da anestesia ter passado. A parestesia se caracteriza por:

  • formigamentos;
  • coceira;
  • perda ou redução da sensibilidade;
  • sensação de frio;
  • pressão.

Apesar de serem sintomas muito desconfortáveis, eles não trazem limitações de movimentos. Portanto, não devem ser confundidos com a paralisia, um quadro que interrompe as movimentações da região bucal ou da face.

Além disso, é importante reforçar que a parestesia não é uma condição que vai acontecer com todas as pessoas que precisam tirar os sisos. Conforme citamos, é uma das possíveis complicações desse procedimento, acontecendo com alguns pacientes, não todos. Depende muito da posição do dente, de como a cirurgia se deu e da destreza do profissional.

Como lidar com casos de dormência permanente?

A tendência é que a parestesia cesse espontaneamente. Aos poucos, os sintomas regridem, e a sensibilidade volta ao normal. O tempo para isso depende da extensão dessa lesão e do organismo de cada pessoa, sendo alguns dias, semanas ou meses.

Se, ao passar o efeito da anestesia, você perceber que ainda existem desconfortos e sintomas de parestesia, o ideal é conversar com o dentista e informar para ele o que está acontecendo.

Quando a parestesia é causada pela formação de edemas (inchaços), a regressão deles é suficiente para recuperar a função perfeita do nervo. Em outros casos, pode ser necessário adotar uma terapia medicamentosa — inclusive, com administração de vitaminas, que vão ajudar o nervo a se recuperar mais rapidamente.

Outra possibilidade de tratamento é a laserterapia, que também estimula as funções nervosas minimizando os sintomas e desconfortos. Porém, somente o cirurgião-dentista é quem pode avaliar adequadamente cada quadro, entender aquilo que está causando a parestesia e indicar a melhor abordagem.

Por isso, o que você pode fazer é manter os cuidados pós-operatórios, principalmente aplicando gelo no local, para minimizar possíveis inchaços. Não havendo melhora, o dentista deve ser consultado.

Por que o lábio pode ficar dormente após a extração do siso?

Os nervos são as estruturas que conduzem os impulsos elétricos por todo o nosso organismo. Têm comunicação com o sistema nervoso central, e ele com o cérebro, fazendo com que a gente perceba o que está acontecendo ao nosso redor ou no corpo de acordo com os estímulos recebidos por essas inervações.

Na parestesia, o lábio fica dormente quando ocorrem danos ao nervo alveolar. Então, ele não consegue transmitir corretamente os impulsos elétricos, havendo um prejuízo à sua comunicação. Isso provoca perda de sensibilidade e outros sintomas característicos dessa condição.

Lembrando mais uma vez: a parestesia de lábio é um risco da cirurgia de extração do dente, mas que não acontece com todos. Portanto, converse com o dentista antes do procedimento, mas escolha com cautela quem vai realizá-lo, para evitar ao máximo que essa complicação aconteça.

Gostou dessas informações? Então, assine nossa newsletter para receber mais dicas de como cuidar bem da sua saúde bucal!

Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário