A restauração é um dos tratamentos mais recorrentes nos consultórios odontológicos. É um procedimento simples e rápido, mas ele também exige alguns cuidados posteriores, a fim de que seus resultados sejam mantidos.

O material das restaurações é resistente, porém, existe a possibilidade de ele se soltar ou trincar em função de alguns fatores. Por isso, um dente que recebeu esse tratamento requer um pouco mais de atenção, e foi por isso que nós preparamos este artigo.

Você sabe o que pode ou não ser feito depois desse procedimento odontológico? Continue na leitura porque, a seguir, apresentaremos quais são os cuidados essenciais com a restauração e também explicaremos o que ela é de fato e para que serve.

O que é a restauração e qual é a sua finalidade?

Quando um dente está cariado, o esmalte dele fica comprometido e não pode mais ser recuperado. Porém, é preciso conter a lesão e reconstruir a estrutura desse órgão, a fim de que ele não perca a sua funcionalidade e também para evitar complicações ainda maiores.

Casos de cárie são tratados com a restauração. Esse procedimento consiste na remoção dos tecidos lesionados e assim evita a proliferação de novas bactérias.

Depois que a parte danificada do esmalte é removida, o dentista faz a limpeza do local e reconstrói o dente com materiais como amálgama ou resina. O segundo é o preferido hoje em dia, em função de ter uma tonalidade similar à cor natural dos dentes.

A restauração, portanto, é o tratamento realizado para eliminar uma cárie e restaurar o dente afetado por ela. Desse modo, ele volta a ficar saudável e totalmente funcional, sem prejuízos estéticos para o sorriso do paciente.

Quais cuidados devemos ter com a restauração?

Tanto a amálgama quanto a resina, além de outros materiais que possam ser usados para fazer uma restauração, têm como característica a excelente resistência. Mas isso não significa que não possam sofrer danos — é preciso que recebam os devidos cuidados para que tenham durabilidade.

Após ter um dente restaurado, a pessoa deve observar alguns fatores para manter os resultados alcançados e não precisar que refaçam o tratamento. Além disso, também pode acontecer de o dente tratado ficar um pouco mais sensível, exigindo que pequenas mudanças de hábitos sejam feitas para minimizar os desconfortos.

A seguir, listamos quais são os principais cuidados que você deve ter com a restauração para que ela não seja danificada e o seu dente se mantenha saudável. Acompanhe!

Mastigar os alimentos com cuidado

Como dito, o material usado para restaurar um dente pode sofrer danos, embora tenha resistência. Logo, é importante mastigar com cuidado sobre o local onde está a restauração, pois assim você evitará trincas ou quebras das extremidades.

Também pode acontecer de, nos primeiros dias, o dente ficar sensível, o que também pede cuidado na hora da alimentação. Por isso, tome as seguintes precauções:

  • evite mastigar do lado tratado;
  • procure controlar a força na hora de morder, para minimizar a pressão;
  • tenha atenção para evitar o impacto direto entre os dentes, pois isso pode gerar sobrecarga no local.

Ter atenção ao ingerir alimentos duros ou pegajosos

Alguns tipos de comidas devem ser ingeridas com cautela por pessoas que fizeram obturação e usam aparelho dentário fixo ou próteses. É o caso de alimentos com textura muito dura ou pegajosa, que podem causar danos ao material ou prejudicar o tratamento.

Powered by Rock Convert

No caso dos alimentos duros, sua consistência difícil de mastigar causa a quebra da restauração. Já os pegajosos aderem ao material e podem fazê-lo se desprender, deixando o local tratado exposto mais uma vez e suscetível a novas cáries.

Evitar bebidas e alimentos muito quentes ou gelados

Depois de restaurar um dente, é natural que ele fique mais sensível nos primeiros dias. Existe a possibilidade de se manifestarem incômodos durante a mastigação, pelo contato com alimentos e bebidas ou muito quentes, ou gelados. Por isso, é interessante ter cuidado com a temperatura daquilo que será ingerido.

Há casos em que a sensibilidade permanece, mas isso acontece principalmente com pacientes cuja extensão da lesão cariosa é muito grande. Se esse for o seu caso, converse com o dentista, para que ele apresente opções de tratamentos que amenizem o desconforto, como o uso de cremes dentais específicos para sensibilidade dentária.

Reduzir o consumo de coisas pigmentadas

Os alimentos coloridos são aqueles ricos em corantes, seja de origem natural — como o açaí, a beterraba e o café — ou artificial — como refrigerantes de cola, sucos em pó e gelatina. Todos eles causam alterações de tonalidade no esmalte e também no material da restauração.

Não é necessário retirá-los do cardápio, mas é interessante consumi-los com moderação, para evitar o acúmulo de pigmentos no dente restaurado. Não se esqueça de que a higiene bucal é uma excelente medida preventiva para esse problema. No caso das bebidas, você pode usar um canudo para impedir o contato do líquido com os dentes.

Evitar hábitos nocivos

Costumes como roer unhas, morder tampa de caneta ou lápis e usar os dentes para fazer alavancas são atitudes muito prejudiciais para o esmalte dentário. Porém, não apenas para ele, porque a restauração também pode ser danificada por esses fatores.

Sendo assim, evite essas práticas, policiando suas próprias ações, para que o material não se quebre ou se solte do dente. Para controlar o hábito de mascar objetos, procure ter sempre em mãos um chiclete sem açúcar e use ferramentas para abrir as coisas.

Realizar a higiene bucal corretamente

Um dente que foi restaurado é aquele que tinha uma cárie, e esse tipo de problema resulta de uma higiene bucal inadequada. Sendo assim, depois de realizar o tratamento, é essencial que você tenha um pouco mais de cuidado com a escovação, afastando o reaparecimento do quadro.

O ideal é realizar a limpeza após cada refeição, removendo a placa bacteriana. A obturação também precisa ser escovada, pois resíduos de alimentos se acumulam ao seu redor. Procure fazer isso com uma escova de cerdas macias, pois o menor atrito sobre o material prevenirá sua quebra ou soltura.

Retornar ao dentista periodicamente

Todos os dentes precisam ser avaliados regularmente em uma consulta com o dentista, independentemente se eles têm uma restauração ou não. O profissional observará se está tudo bem com a restauração, procurando por trincas, infiltrações ou pequenas quebras que poderiam desencadear novas cáries ou outros problemas no dente tratado.

O profissional também vai complementar os cuidados que você tem em casa. Faz isso por meio de medidas preventivas, como a profilaxia — limpeza de consultório — e a tartarectomia — procedimento realizado para remover o tártaro que se forma entre os dentes, nas bordas da gengiva ou abaixo dela.

Se você precisar fazer uma obturação, não se esqueça desses cuidados para não ter maiores problemas com o dente tratado. Porém, caso você perceba que ele está sensível demais, dolorido ou que há algo errado com o material da restauração, procure o dentista imediatamente. Assim, estará evitando uma nova cárie ou complicações mais profundas, como uma pulpite, que exige tratamento de canal.

Você já precisou obturar um dente? Sabia que é preciso tomar tantos cuidados quando essa restauração é feita? Deixe seu comentário neste post e conte sua experiência para a gente!

Powered by Rock Convert

Escreva um comentário

Share This