Muitas pessoas sofrem com dores de cabeça que às vezes podem chegar até o pescoço e os ombros. Você consegue imaginar a causa? Pois acredite: esse mal pode estar relacionado a problemas de alinhamento dos seus dentes, como o caso da mordida cruzada.

Inclusive, essa é uma condição que pode trazer consequências mais graves do que você imagina, mas muita gente convive com ela sem saber. Por isso, o melhor caminho é sempre procurar um profissional especializado para realização de um diagnóstico preciso.

Neste post, vamos explicar o que é a mordida cruzada, quais são suas causas e complicações, além de falar sobre como é diagnosticada e apontar alguns tratamentos. Continue com a leitura para descobrir tudo isso e muito mais!

O que é mordida cruzada?

De uma forma bem simplificada, podemos dizer que a mordida cruzada é um desalinhamento entre a mandíbula e a maxila, onde estão as arcadas dentárias inferior e superior. Quando ela ocorre, o fechamento dos dentes não acontece de forma adequada. É como se a mordida não se encaixasse, atrapalhando a mastigação e até a fala.

Quase sempre esse tipo de mordida surge ainda na infância e, na maioria das vezes, não é percebida pelos pais. Isso porque os dentes podem até parecer alinhados e retinhos, sendo que na verdade, a arcada está fora do lugar.

Um detalhe importante é que o problema difere de paciente para paciente — isto é, existem tipos diferentes de mordida cruzada. Esse é mais um fato que confirma a importância de ter um acompanhamento odontológico desde cedo, pois a análise do dentista é essencial para verificar cada caso e indicar o tratamento adequado. Entenda melhor essas variações abaixo!

Mordida cruzada dentária

Também conhecida por mordida cruzada dentoalveolar, essa disfunção acontece quando apenas os dentes estão inclinados ou desalinhados. Logo, é um tipo de cruzamento mais fácil de ser corrigido.

Mordida cruzada esquelética

Nesse caso, são identificadas alterações na base óssea que sustenta os dentes e isso faz com que eles não se encaixem como deveriam.

Mordida cruzada funcional

O desvio funcional ocorre se a mandíbula não está bem acomodada, sendo o fator de impedimento para que o encaixe dos dentes aconteça da forma certa.

Mordida cruzada anterior

É configurada nos casos em que, ao fechar a boca, os dentes superiores da frente passam por trás dos dentes inferiores. A conclusão é que a mandíbula é adiantada em relação ao maxilar, e geralmente é possível notar que o queixo fica para frente.

Mordida cruzada posterior

Ao contrário da anterior, nessa circunstância são os dentes laterais que ficam invertidos na hora da mordida — com os de cima fechando por dentro dos dentes inferiores.

Nesses quadros, o profissional da odontologia deve incluir no diagnóstico se o cruzamento se dá nos dois lados da arcada dentária (bilateral) ou apenas em um (unilateral).

Quando isso pode acontecer?

Como dissemos, o problema costuma surgir na infância, quando as crianças já devem começar a ser levadas ao dentista para fazer limpezas periódicas e avaliações gerais da arcada dentária. Quanto antes a mordida cruzada for identificada, melhores serão os resultados do tratamento e menores serão os prejuízos para o seu desenvolvimento.

A razão para acontecer nessa fase da vida são os motivos genéticos, em especial se o problema for na formação óssea da mandíbula ou do maxilar. Também pode ser porque o crescimento dos dentes atrasou, fazendo com que eles ficassem afastados, ou pelo hábito de chupar dedo, que atrapalha o crescimento da região do céu da boca.

Outra ocorrência bastante comum é desenvolver a mordida cruzada pelo hábito de respirar pela boca, o que costuma acontecer com crianças que têm adenoides ou um aumento considerável das amídalas. Como consequência, os dentes tendem a ficar desalinhados com o tempo.

Que problemas pode causar?

Ao contrário do que muita gente pode pensar, o inconveniente da mordida cruzada não se limita à estética. Por essa razão é tão importante identificar e tratar a condição o mais breve possível.

Powered by Rock Convert

Quem tem a mordida cruzada pode sofrer com o aumento da incidência de cáries e de doenças da gengiva, pois a escovação pode ser mais difícil. Mas há ainda outras complicações, que podem surgir dependendo do grau de desalinhamento dos dentes, tais como:

  • dores de cabeça, nos ombros e no pescoço;
  • ferimentos nas bochechas causados por frequentes mordidas acidentais;
  • desgaste dos dentes e possível retração da gengiva;
  • sensação de zumbidos constantes no ouvido;
  • sensibilidade dentária;
  • bruxismo.

Como descobrir a mordida cruzada?

As visitas frequentes ao dentista facilitam a identificação de problemas como a mordida cruzada. Normalmente, quando percebe o desalinhamento na boca das crianças, o profissional sugere o encaminhamento a um ortodontista após todos os dentes de leite terem nascido.

Vale lembrar que os adultos que não fizeram a correção enquanto mais jovens também devem buscar uma solução para evitar maiores complicações ao longo do tempo. Então, se você suspeita que tem o problema, uma forma de identificar a mordida cruzada é verificar o alinhamento dos seus dentes em frente a um espelho.

Preste atenção ao posicionamento tanto da mandíbula quanto dos maxilares enquanto faz o movimento de abrir e fechar a boca repetidamente. Se o encaixe parecer fora do usual ou se tiver qualquer dúvida, marque uma consulta. A mesma recomendação vale para quem estiver apresentando os sintomas já citados, como dores de cabeça constantes, ferimentos na mucosa bucal causados por mordidas, desgaste nos dentes etc.

Por que é tão importante tomar uma providência?

Muitas das pessoas que apresentam algum sintoma da mordida cruzada acabam protelando para buscar ajuda. Nos casos das dores nos membros superiores, por exemplo, é comum que o indivíduo opte pela automedicação sem investigar a sua verdadeira motivação.

Contudo, agora que você conheceu as principais características do problema, pôde perceber que a condição precisa receber o tratamento adequado para não causar consequências piores. Confira no próximo tópico as alternativas para tratar a mordida cruzada!

Quais são os tratamentos para o problema?

O profissional de ortodontia é o mais indicado para fazer a avaliação da sua mordida e, claro, indicar a melhor solução para cada caso. Quanto mais cedo isso acontecer, melhores são as chances de o tratamento ser eficaz. Confira os principais métodos de correção a seguir.

Expansor de palato

Mais conhecido como céu da boca, o palato pode ter o seu desenvolvimento afetado pelo hábito de chupar o dedo na infância ou em casos em que a pessoa respira muito pela boca. O ideal é usar o aparelho na infância, pois o céu da boca ainda está em fase de desenvolvimento.

O expansor é um tipo de aparelho fixado no palato, entre os dentes molares. Sua função é alargar a região, empurrando os dentes para fora. Com o auxílio desse acessório, o tamanho do espaço é gradualmente aumentado, sendo acompanhado nas consultas regulares feitas ao ortodontista.

Retirada de dentes

Quando a mordida cruzada é ocasionada pelo desalinhamento dos dentes, uma das opções do dentista é fazer a remoção de alguns deles. Com a criação de espaço na arcada, a tendência é que eles cresçam adequadamente e ocorra o realinhamento. Mais uma vez, essa é uma solução vantajosa na fase infantil, quando a arcada dentária ainda está sendo formada.

Aparelho dentário

Esse é o tratamento mais indicado quando a mordida cruzada é identificada na fase adulta ou até mesmo na adolescência. O aparelho ajuda a alinhar os dentes, empurrando-os pouco a pouco e corrigindo o encaixe até chegar ao resultado desejado.

É muito frequente que os pacientes fiquem em dúvida acerca de quanto tempo será necessário o uso do aparelho. Contudo, essa é uma resposta que depende do grau de desalinhamento de cada pessoa, o que só poderá ser avaliado por um profissional. Uma boa notícia é que o mercado ortodôntico evoluiu muito ao longo dos anos e as soluções estão cada vez melhores, tanto no sentido funcional quanto estético.

Procedimento cirúrgico

Após examinar a boca do paciente, o profissional pode recomendar um procedimento cirúrgico para a correção da mordida cruzada, principalmente se ela for identificada tardiamente. Basicamente, a ideia é reposicionar o maxilar para favorecer a oclusão correta.

A cirurgia é conhecida como ortognática e tem caráter funcional, embora possa gerar resultados estéticos quando a pessoa apresenta algum traço de desarmonia facial causado pela formação dos ossos da face. Trata-se de um trabalho preciso e que precisa ser realizado por um especialista. A recuperação é simples e os resultados são bem eficazes.

Enfim, com base em tudo que vimos no decorrer do texto, o acompanhamento frequente por um dentista pode ajudar a evitar diversos problemas, principalmente se o hábito for criado desde a infância. A mordida cruzada é uma situação corriqueira que pode ser tratada com mais eficiência e menos sofrimento se identificada logo nos primeiros anos de vida.

Você sofre com alguns dos sintomas apresentados em nosso post? Realiza consultas periodicamente com o seu dentista? Lembre-se que o que importa é nunca deixar de cuidar da sua saúde bucal com atenção. E para receber mais dicas e informações sobre o assunto, não deixe de assinar a nossa newsletter!

Powered by Rock Convert

Escreva um comentário

Share This