Costumam dizer por aí que com saúde não se brinca. E isso é a mais pura verdade! O detalhe é que, como ninguém sabe o dia de amanhã, a prevenção é extremamente importante. O que muita gente esquece é que a saúde bucal também precisa ser contemplada! Por isso, optar por um plano odontológico é uma escolha primordial.

Até o momento da escolha, porém, é comum ter muitas dúvidas. Afinal, a quem você pode confiar a saúde da sua família? Nesse cenário, muitos focam apenas no preço.

Mas existem muitas outras características que devem analisadas, como a rede de atendimento, as especialidades disponíveis, o período de carência, entre tantos outros critérios.

Que tal conhecer agora mesmo as principais características que você deve observar na hora de escolher o melhor plano odontológico para a família? Fique atento!

Abrangência do plano

Os planos costumam ser regionais ou nacionais. Pensando nisso, na hora da cotação, é preciso levar em conta o custo e benefício para que a escolha seja feita de acordo com a sua necessidade.

Rede de atendimento

Além da área de cobertura, é importante saber também que clínicas e profissionais fazem parte da rede. Daqueles disponíveis, quais estão mais próximos de você?

Conhecer esses detalhes pode fazer toda a diferença no dia a dia. Afinal, ninguém quer ir em um dentista muito longe se poderia ir pertinho de casa, não é mesmo?

Condição de reembolso

Se você já está fazendo um tratamento com algum profissional e ele não atende pelo plano, você pode verificar a possibilidade de reembolso. Muitas operadoras oferecem essa opção. Desta forma, você pode escolher terminar o processo com o profissional antigo, para depois procurar por algum do próprio plano.

Cobertura de procedimentos

Por lei, os planos devem cobrir um número mínimo de procedimentos já estipulados. O primeiro passo, portanto, é conferir se isso está garantido para você. Caso contrário, fuja, pois certamente a empresa não é nada confiável. Para além desses, porém, as operadoras podem oferecer cobertura a procedimentos diversos.

Cabe a você analisar as opções e comparar com aquilo que faz sentido de acordo com sua realidade. Não dá para apenas escolher às cegas aquele plano que cobrir mais procedimentos se, no fim das contas, eles não justificarem o preço mais elevado por não harmonizarem com sua vida.

Powered by Rock Convert

Período de carência

A carência é aquele período que o novo beneficiário deve aguardar para poder usufruir de determinados procedimentos cobertos pelo plano. A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) definiu alguns prazos máximos em relação aos planos odontológicos. Isso quer dizer que eles podem ser menores, dependendo da estratégia da operadora.

Como esses prazos variam muito, o importante é pesquisar e comparar para encontrar o mais adequado para sua realidade. Confira os prazos definidos pela ANS:

  • procedimentos de emergência e urgência: 24 horas;
  • consultas, diagnósticos, odontologia preventiva, profilaxia e radiologia: 30 dias;
  • próteses: 180 dias.

Ranking da ANS

A ANS elabora um ranking de operadoras de planos odontológicos, organizando a listagem de acordo com uma nota gerada a partir da qualidade dos serviços prestados, do atendimento ao consumidor, do cumprimento de cláusulas contratuais, entre outros critérios. Use essa lista como referência na hora da pesquisa, conhecendo a reputação da empresa antes de assumir qualquer compromisso com ela.

Avaliação de clientes

Outra fonte importante de pesquisa é a opinião de clientes antigos e recentes. Para isso, você pode entrar em contato com alguém que sabe que já faz parte do plano de que deseja participar, perguntando diretamente por sua opinião. Dessa maneira, você consegue descobrir a realidade sobre os serviços da empresa.

Se não conhecer ninguém, não tem problema, porque existem outros meios. Um deles é o site Reclame Aqui, plataforma onde as pessoas registram suas reclamações e as empresas são contactadas para tentar resolver. Tomando como base o número de reclamações e de respostas, é possível ter uma noção da reputação da empresa.

Verifique também se a operadora tem perfil nas redes sociais. Se sim, dê uma olhada por lá. Normalmente, é possível encontrar comentários de usuários. Aí basta checar se são positivos ou negativos. E não deixe de consultar o Procon, viu? O órgão também mantém uma lista de reclamações, que pode ser consultada por qualquer um.

Situação financeira

Outro ponto muito importante a pesquisar é a saúde financeira da operadora.  Para tanto, basta fazer uma consulta online no site da ANS. Com isso você certamente consegue evitar surpresas desagradáveis.

Custo e benefício

Agora sim, depois de analisar todas essas características, você pode voltar a observar o preço, para fazer uma análise entre custo e benefício. Lembre-se: nem sempre o mais caro vai atender a suas necessidades, assim como um desconto muito grande pode ser sinal de armadilha. Então fique atento a suas verdadeiras necessidades!

É verdade que um bom plano é aquele que cabe no seu bolso, mas isso, claro, se ele cumprir o que promete para não deixar sua família em risco! Considere bem sua realidade.

São quantos dependentes? Existem referenciados próximos da sua residência? Escolha uma operadora que cubra todas as suas necessidades com a devida qualidade. É melhor pagar uma mensalidade um pouco mais alta que ter altos gastos inesperados no futuro.

Viu só como a escolha do plano odontológico não pode ser tão precipitada? É isso mesmo: quem olha só para o preço pode estar cometendo um grande engano. De olho nisso, confira as nossas opções e descubra o melhor plano odontológico para  sua família!

Powered by Rock Convert

Escreva um comentário

Share This