O acompanhamento bucal desde a infância ajuda na condução de tratamentos odontológicos, além de facilitar a identificação de eventuais problemas dentários.

O problema é que muitos pais encontram dificuldades em levar os pequenos a consultas regulares no consultório. Grande parte disso se deve ao medo de dentista que as crianças acabam desenvolvendo.

Aliás, não são só crianças que têm esse receio, viu? Por incrível que pareça, a resistência ao dentista também é comum entre os adultos. E tem mais: por não buscarem auxílio para o problema, essas pessoas acabam desenvolvendo odontofobia ao longo do tempo. Melhor não deixar chegar a esse ponto, certo?

Por essas e outras, é essencial desmistificar situações ocorridas no consultório para as crianças, visto que a associação equivocada de que ir ao dentista é sinônimo de sofrimento causa uma série de problemas. E se esse medo impede o acompanhamento adequado da saúde oral dos pequenos?

Pensando na importância desse tema, resolvemos trazer para este post algumas dicas valiosas sobre como lidar melhor com o medo das crianças em relação ao dentista. Não deixe de conferir!

Familiarize a criança com o consultório

A melhor forma de lidar com o medo das crianças é buscar, desde cedo, familiarizá-las com a figura do dentista. A primeira dica, portanto, consiste em iniciar o acompanhamento odontológico logo após o nascimento dos primeiros dentes de leite.

Dessa forma, o profissional poderá acompanhar o pequeno com ações simples, colaborando com a prevenção de transtornos bucais e, consequentemente, evitando procedimentos mais complexos quando a criança estiver maior. Seguindo essa estratégia, fica mais fácil dissociar a ideia de que visitas ao dentista sempre representarão dor.

No entanto, se o pequeno não criou familiaridade com o ambiente da clínica, mantendo contato apenas depois de maior, ele pode sim carregar ideias e percepções preconcebidas. Geralmente, essas noções erradas partem dos próprios pais, que têm algum medo do dentista ou acabam usando termos equivocados para se referir a essa rotina — como veremos a seguir.

Brinque sobre a higiene bucal

Uma dica importante é orientar a criança acerca da higiene bucal desde novinha. Por meio de brincadeiras, histórias positivas e até mesmo relatos de experiências no dentista, os pequenos podem criar uma imagem amena sobre a ida ao consultório.

Procure acompanhar a criança durante a escovação diária dos dentes e da língua, preferencialmente de forma lúdica, deixando-a segura durante esse processo. Dessa maneira, ela identificará que a manutenção da saúde bucal não gera incômodo nenhum. Melhor assim, não acha?

É válido ressaltar que alguns termos negativos podem ser vistos como ameaça, criando um impacto prejudicial nos pequenos.

Então nada de enfatizar a ideia da ida ao consultório odontológico como punição, ok? Se a criança não quiser escovar os dentes, por exemplo, evite dizer que tomará injeção no dentista se não o fizer. Se fizer algo que possa prejudicá-la, não diga que ficará doente e será levada ao dentista. Sem mistério!

Powered by Rock Convert

Tranquilize o pequeno na consulta

A presença dos pais no consultório é muito importante, uma vez que eles conhecem melhor a reação dos filhos frente a situações de ansiedade ou nervosismo. É válido, nesse sentido, que os adultos criem um ambiente confortável para os pequenos, levando brinquedos de que gostem e com os quais possam se distrair, por exemplo.

Outra dica é conversar com eles no caminho até o dentista, tranquilizando-os sobre o que será feito por meio de uma linguagem lúdica. Antes de entrar no consultório, fale também sobre a importância de ir a esse profissional para que os bichinhos não comam o dente, mostrando que esse cuidado só faz bem.

Essas sugestões são só maneiras de amenizar a tensão. Além do mais, o próprio dentista também assume a responsabilidade de criar um laço de confiança com a criança, Antes de iniciar qualquer procedimento, portanto, é interessante criar uma conexão positiva entre paciente e profissional.

Leve a criança a um odontopediatra

O profissional mais capacitado para fazer qualquer tratamento dentário em bebês e crianças pequenas é o odontopediatra.

Além da especialização que possui para acompanhar essa faixa etária, esse dentista também pode orientar as gestantes com maior propriedade sobre como proceder com a higiene bucal de recém-nascidos.

Uma das técnicas usadas por esse profissional consiste em fazer com que a criança acompanhe e entenda o que está sendo realizado, sempre de maneira lúdica e leve.

O uso de espelhos para demonstrar os procedimentos realizados é uma prática recorrente. Dessa forma, o pequeno se sente parte do atendimento, sendo gratificado por atuar como uma espécie de ajudante do dentista.

Fale sempre a verdade

As crianças têm muita confiança nos pais. Por isso, tanto a fala exagerada sobre a dor que poderão sentir no consultório quanto a negação da existência de qualquer incômodo podem romper esse laço de credibilidade, acentuando o problema do medo de dentista. Procure, assim, falar sempre a verdade. No mínimo, apenas exponha a realidade evitando exageros, procurando manter o pequeno calmo para que experiencie a consulta sem ansiedade desnecessária.

Opte por orientar sobre a importância e os benefícios que os cuidados com a saúde bucal podem trazer, evitando termos e expressões ambíguos. Se você também nutre um medo excessivo pela cadeira do consultório, procure conter a ansiedade na frente da criança e, se achar que é necessário, busque ajuda especializada.

Todas essas dicas são importantes para criar um impacto positivo na criança em relação ao dentista. É preciso lembrar que a maioria dos medos e fobias desenvolvidos em relação à experiência no consultório odontológico se originam a partir de noções, traumas e experiências negativas. Pronto para se policiar em relação à forma como a ida ao dentista é tratada em casa?

Além disso, o acompanhamento com um profissional de Odontologia desde os primeiros anos de vida adapta o pequeno a esse ambiente, o que contribui para a melhor aceitação dos tratamentos e demais procedimentos feitos no consultório.

Sabemos que o cuidado com a saúde bucal na infância é de extrema importância para evitar complicações, dores e doenças orais comuns, como cáries e gengivites. A aceitação dessa prática passa, todavia, pela noção positiva acerca do trabalho do profissional de Odontologia. Então chegou a hora de dar adeus ao medo!

E aí, gostou das nossas dicas? Compartilhe-as em suas redes sociais para ajudar outras pessoas a lidar com essa situação!

Powered by Rock Convert

Escreva um comentário

Share This