Fluorose: como o excesso de flúor pode afetar sua saúde bucal

7 minutos para ler

Sabia que nem sempre as manchas nos dentes são causadas pela alimentação, bebidas pigmentadas ou cigarro? Em alguns casos, elas podem ser o resultado da fluorose, uma condição que, se não for tratada, começa a se manifestar na infância e se prolonga durante toda a vida.

Porém, os impactos estéticos são apenas um dos prejuízos causados por esse problema bucal. Em casos mais expressivos, há, também, um comprometimento da mineralização do esmalte, e até mesmo a sua estrutura pode sofrer alterações.

Neste artigo, explicamos tudo que você precisa saber sobre a fluorose, suas causas, os sintomas que ela desencadeia, as formas de tratamento e algumas medidas preventivas. Continue lendo e confira informações preciosas para cuidar bem do seu sorriso!

O que é fluorose?

O flúor é um mineral muito importante para o fortalecimento do esmalte dentário. Por isso, ele está presente nos cremes dentais e, em muitas cidades, é acrescentado à água de abastecimento público, para garantir o seu consumo pela população.

Embora tenha um papel indispensável para a prevenção das cáries, por exemplo, quando em excesso, esse mineral pode causar o problema chamado de fluorose dentária. Então, em vez de promover a proteção para os dentes, acarreta prejuízos.

A fluorose, portanto, é o nome dado ao conjunto de sintomas e alterações estruturais que acontecem na dentição das pessoas por causa da presença excessiva de flúor no organismo. É preciso ficar atento, porque essa condição se inicia logo na infância.

Quando a fluorose acontece?

Durante a infância, quando os dentes permanentes ainda não nasceram, se a criança tiver um contato excessivo com flúor, existe uma grande possibilidade de ela desenvolver fluorose. Isso se explica pelo fato que a coordenação motora ainda se encontra deficitária até aproximadamente os 3 anos de idade onde a criança não tem a capacidade de bochechar e cuspir, ingerindo assim creme dental a cada escovação. Assim, quando os dentes de leite caem, seus sucessores automaticamente nascem com esse problema.

Portanto, usar creme dental com flúor durante a vida adulta não vai agravar a fluorose, porque esse quadro acontece nas crianças e acompanha o indivíduo nas demais faixas etárias.

O que causa fluorose?

Explicamos que a fluorose é causada pela ingestão excessiva de flúor. Quando ele está em níveis muito altos no organismo, portanto, em vez de trazer benefícios para a dentição, provoca prejuízos, desencadeando alterações em sua estética e estrutura.

Esse problema pode acontecer quando a criança usa cremes dentais com concentrações muito altas de flúor e deglute o produto. Também pode ser o resultado de uma suplementação excessiva de flúor pela ingestão de comprimidos.

Ainda, é possível que se manifeste em função de um conjunto de fatores — como pelo consumo de água enriquecida com o mineral. Ao ingeri-lo a partir de fontes diferentes e descontroladas, a criança pode consumir flúor em excesso e desenvolver a fluorose.

Quais são os sintomas de fluorose?

O principal sintoma são as manchas, que já nascem com os dentes permanentes. Sua concentração e tonalidade variam de acordo com a intensidade do problema. Podem ser esbranquiçadas, amareladas ou, até mesmo, marrons, causando um grande contraste com o esmalte dentário.

Quando a fluorose é mais grave, há, também, a desmineralização do esmalte, que o deixa mais frágil. Além disso, podem acontecer alterações estruturais, comprometendo o formato e a superfície dos dentes e causando irregularidades, desgastes e impressão de corrosão.

Powered by Rock Convert

Que danos são causados pela fluorose?

Geralmente, a fluorose tem um impacto maior na estética do sorriso; afinal, como explicamos, o seu principal sintoma são as manchas que se desenvolvem nos dentes permanentes, que criam um contraste muito visível.

Por isso, o primeiro dano causado por esse problema é o estético, o que traz insatisfação para a pessoa com relação ao aspecto da sua dentição. Isso também pode afetar a autoestima e a autoconfiança, interferindo em outros aspectos do desenvolvimento e bem-estar.

Já quando a fluorose é mais grave e afeta a estrutura dentária, a pessoa apresenta uma dentição mais fragilizada e suscetível a quebras e trincas. Além disso, ela terá maior vulnerabilidade a doenças bucais como a cárie.

Dependendo do grau de alteração na estrutura dos dentes, isso pode acarretar, ainda, outras complicações decorrentes do encaixe inexato das arcadas dentárias. Podem ocorrer, por exemplo, desgastes e mastigação inadequada.

É possível prevenir a fluorose?

Como a fluorose é provocada pelo consumo excessivo de flúor a sua prevenção não é complicada. Mas quem precisa estar atento a isso são os pais, uma vez que, como você viu, esse problema se manifesta ainda na infância, mesmo antes dos dentes permanentes nascerem.

O ideal é que os pequenos usem apenas cremes dentais específicos para sua faixa etária. Além disso, a escovação deve ser feita sob supervisão de um adulto, sempre instruindo sobre a importância de não engolir o produto.

Não é recomendado fazer a aplicação de flúor por conta própria, sendo essa uma tarefa de responsabilidade do dentista, e que será adotada de acordo com a necessidade da criança. Também deve ser evitada a suplementação desse mineral sem a indicação de um especialista.

É válido se informar se a água de abastecimento da cidade é ou não enriquecida com flúor, e conversar com o pediatra ou o dentista da criança para saber se é seguro o consumo, ou se há necessidade de adotar uma marca específica. Afinal, a composição química da água varia de acordo com a fonte.

Como esse problema pode ser tratado?

Mesmo que a criança tenha desenvolvido fluorose, ela pode ter um sorriso bonito e saudável, porque existe tratamento para esse problema. Primeiro, é preciso consultar um bom dentista, para que ele possa avaliar o grau de comprometimento e indicar o melhor procedimento.

Uma alternativa para os casos mais leves é a microabrasão, feita por meio de um desgaste superficial do esmalte que, basicamente, apaga as manchas. Ela pode ser complementada pelo clareamento dental, de modo a deixar a tonalidade mais homogênea.

Nos casos mais graves, quando as manchas são muito específicas e se houver um comprometimento estrutural, a microabrasão e o clareamento podem não ser suficientes. Mesmo assim, é possível tratar a fluorose por meio da aplicação de coroas dentárias ou facetas de porcelana.

Ambos são próteses confeccionadas de maneira personalizada e que serão fixadas sobre os dentes para alterar a sua tonalidade e formas. Com isso, harmonizamos o sorriso e trazemos simetria para a arcada.

Como a fluorose pode ser prevenida, o ideal é adotar as medidas certas para cuidar da saúde bucal das crianças e evitar que ela se manifeste. Caso isso não seja possível, somente um dentista pode indicar a melhor abordagem. É válido ressaltar que o acompanhamento com ele desde cedo também ajuda a fazer a prevenção desse e de outros problemas.

Que tal aprender a cuidar ainda melhor dos seus dentes? Confira nosso artigo que mostra as práticas mais indicadas para uma limpeza correta!

Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário