Nas últimas décadas houve um grande aumento na procura por planos odontológicos no Brasil. Um dos principais motivos são os custos mais baixos em consultas e exames que este tipo de convênio proporciona. O crescimento da demanda também trouxe para o consumidor mais opções de planos, e entender melhor sobre este produto é fundamental para contratá-lo ou usá-lo da maneira correta.

O que são e como funcionam os planos odontológicos?

O funcionamento é similar ao de um plano de saúde comum. Mediante o pagamento de uma mensalidade são contratados os serviços de uma operadora de saúde, que tem uma rede credenciada de consultórios, laboratórios e profissionais.

Dependendo da cobertura contratada, o plano dá direito a um conjunto de tratamentos odontológicos, dos mais simples aos mais complexos.

Por que contratar um plano odontológico?

Primeiramente, porque os custos para consultas e exames são menores se comparados aos pagos a particulares. Isso estimula as visitas regulares ao dentista e, consequentemente, a prevenção.

Outro benefício dos planos odontológicos é que não há limites de utilização, o que significa que o beneficiário pode fazer quantas consultas e tratamentos forem necessários, a qualquer momento, desde que cumprido o período de carência.

Saiba como utilizar o seu plano de saúde corretamente

Por fim, as mensalidades do plano odontológico costumam ser muito acessíveis, tanto para particulares quanto para empresas, tendo assim uma ótima relação custo x benefício.

O que está coberto nos planos odontológicos

Todo plano odontológico deve cobrir, ao menos, o rol mínimo obrigatório definido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), órgão que regula e fiscaliza o setor. A cobertura básica abrange ao todo 80 procedimentos, desde diagnósticos e tratamentos até cirurgias.

A ANS também define os prazos máximos de carência, tempo que um novo beneficiário deve esperar para usufruir dos procedimentos de saúde cobertos pelo convênio.

Powered by Rock Convert

O prazo máximo de carência estipulado pela ANS é:

  • 24 horas: procedimentos de urgência e emergência.
  • 30 dias: consultas, diagnósticos, odontologia preventiva, profilaxia, e radiologia.
  • 60 dias: procedimentos de dentística, ortodontia, cirurgias e tratamentos para disfunção da articulação temporo-mandibular.
  • 90 dias: periodontia e endodontia.
  • 180 dias: próteses.
  • Em caso de doenças ou lesões preexistentes, a carência máxima pode ser de até 24 meses, dependendo da sua complexidade.

Vale ressaltar que estes são prazos máximos. Cada operadora de saúde pode diminuir o período ou mesmo não exigir carência, e deve expressar em contrato todas as informações.

Portanto, antes de contratar um plano odontológico para sua família ou sua empresa, você precisa conhecer os períodos de carência e verificar a cobertura que ele abrange.

Plano Odontológico Goldental

A Golden Cross possui um plano odontológico corporativo completo e flexível, o Goldental, que oferece uma ampla rede credenciada, condições especiais de reembolso e muito mais.

São 10 tipos de planos para seus funcionários, desde o básico, que cobre o rol mínimo obrigatório, até planos com diversos procedimentos adicionais.

Conheça os diferenciais dos planos odontológicos Goldental:

  • Sem necessidade de perícia.
  • Cobertura em 24 horas para Urgência/Emergência.
  • Cobertura básica exigida pela ANS.
  • Cobertura nacional.

Se quiser fazer uam cotação ou saber mais sobre o Goldental, clique aqui

Fontes e Referências: G1, Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Powered by Rock Convert

Escreva um comentário

Share This