Quando um bebê nasce, a família se enche de alegria e todas as atenções se voltam para ele, não é mesmo? Isso é muito natural, mas não é tudo. Afinal, os cuidados com a mãe após o parto também são muito importantes.

Também chamado de puerpério, o pós-parto é um momento de profundas mudanças físicas e psicológicas, que se inicia logo após o nascimento do bebê e termina com a primeira ovulação da mulher (entre seis e oito semanas para quem não amamenta e entre seis e oito meses para quem amamenta).

A recuperação, portanto, é lenta e delicada. A mulher, além de observar como seu organismo se comporta, deve se alimentar adequadamente, repousar, cuidar de sangramentos e das mamas, assim como retornar ao médico nas datas solicitadas.

Veja abaixo os principais cuidados que uma mulher deve tomar após o parto:

Cuidado com os seios

As mamas devem ser observadas com frequência, já que complicações com essa parte do corpo são comuns no pós-parto. Ressecamentos e fissuras da aréola dos seios, por exemplo, são queixas comuns entre as mães.
Por isso, para o bico não rachar, é preciso manter o local sempre hidratado. Isso pode ser feito com o próprio leite materno ou com pomadas específicas para esse fim (nunca com hidratantes comuns).
Outro problema comum é a mastite, também conhecida como empedramento dos seios, que ocorre quando há excesso de leite. O jeito mais rápido de tratar o problema é fazendo compressas de água gelada ou tirando o excesso de leite com as mãos ou uma bomba.
Atenção: Se a mulher tiver febre ou se o problema continuar, deve procurar seu ginecologista.

De olho no inchaço da barriga

Após o parto, o útero se contrai e aos poucos vai voltando ao tamanho normal. Esse fenômeno leva ao surgimento de cólicas durante a amamentação, assim como a um sangramento bem vermelho, que vai se tornando cada vez mais claro, até desaparecer.
Se as cólicas não cessarem, o sangramento não parar ou o abdome não desinchar durante as primeiras semanas, desconfie. Isso pode significar uma infecção. Para evitar problemas, faça as visitas programadas ao seu obstetra e conte tudo o que está sentindo a ele.

Atenção às cicatrizes

As vias de parto mais comuns, normal e cesariana, produzem dois tipos de cicatrizes. No parto normal, a episiotomia, corte feito no canto da vagina, é realizada para evitar lacerações durante a saída do bebê. Já durante a cesariana é feito um corte transversal acima do púbis.
Em ambos os casos, as cicatrizes devem ser limpas com água e sabonete neutros, e a região deve estar sempre seca para evitar complicações. Caso a mulher sinta muita dor, seu médico ainda pode prescrever analgésicos permitidos durante a amamentação, como a dipirona.
Caso a dor não passe com a medicação, ou se houver sinais como vermelhidão, inchaço, dor intensa, secreções amareladas ou um cheiro ruim, o local pode estar inflamado. Nesses casos, a paciente deve falar com seu obstetra imediatamente.

Cuidando da alimentação

As mães costumam sentir náuseas nos primeiros dias após o parto. Por isso, nesse período é importante ingerir alimentos de fácil digestão, como melancia e melão.
Bebidas como sucos e água também são muito indicadas, já que ajudam a diminuir o inchaço da gravidez e a aumentar a produção de leite materno.
Com o passar do tempo, a mulher deve buscar uma alimentação equilibrada, dando preferência a verduras, legumes, peixes e carnes magras, além de aumentar a ingestão de proteínas para incrementar os níveis de ferro, que tendem a diminuir durante a gestação.

Retornando aos exercícios físicos

Mulheres cujo parto foi normal podem dar início, em cerca de duas semanas, a algumas atividades leves e curtas, como alongamentos e massagens. Esses exercícios ajudam a circulação sanguínea, diminuem o inchaço e dão mais disposição.
Outra boa dica para recomeçar, após conversar com um médico (só ele pode liberar), é investir em caminhadas. Com a criança ainda mamando, a mamãe pode usar uma esteira de casa ou do prédio, com o bebê por perto, ou levar o pequeno junto, no carrinho ou em um sling (faixa de tecido que serve para carregar o bebê junto ao corpo de um dos pais) – de preferência pela manhã. Nesse último caso, é preciso ter autorização também do pediatra.
Atenção: as mulheres que passaram pela cesariana costumam ser liberadas para atividades físicas mais tarde: entre quatro e seis semanas após o parto.Veja outras dicas para retornar às atividades no pós-parto

A hora certa de voltar a ter relações sexuais

A vida sexual pode ser retomada quando o médico, após alguns exames, der o sinal verde. Mas atenção: não dá para ter pressa nesse momento. Com as alterações hormonais, a vagina está mais ressecada, e a libido pode estar em baixa.
Além disso, a liberação geralmente ocorre 40 dias após o parto. Por tudo isso, não há motivos para preocupação excessiva caso as relações demorem um pouco a voltar.

Escreva um comentário

Share This