Conheça as principais causas de dor de dente e as formas de prevenção

9 minutos para ler

Você já sentiu dor de dente? Essa é uma pergunta bem fácil de responder, porque quem passou por isso simplesmente não esquece. Não quer arriscar? Então, a escolha mais inteligente é se prevenir.

O detalhe é que, como a dor de dente não é uma enfermidade em si, mas a consequência de algum outro mal a que seu corpo se submete, não existe uma fórmula única capaz de protegê-lo contra o problema. E já que as possíveis causas são muitas, o melhor caminho é conhecer as mais recorrentes e entender como evitá-las.

Pensando nisso, resolvemos listar, aqui, as principais causas da dor de dente e suas formas de prevenção. Acompanhe e aprenda!

O que é a dor de dente?

Não tem mistério: a dor de dente é um incômodo no próprio dente ou ao redor dele que surge como reflexo de alguma outra enfermidade. A dor pode ser leve, moderada ou forte, chegando ao ponto de, inclusive, se refletir no maxilar e na face.

Quando ela aparece com muita intensidade, costuma ser descrita como uma dor insuportável. Apesar disso, trata-se de uma ocorrência relativamente comum entre a população, atingindo pessoas das mais diversas idades.

Quais são as principais causas?

São diversas as possíveis causas relacionadas à dor de dente. A partir de agora, você conhecerá algumas das principais. Entretanto, vale destacar desde já que apenas um especialista pode indicar a causa com precisão, de acordo com seu quadro, ok?

Cárie

A origem mais comum da dor de dente é a cárie, que, normalmente, surge pela má higiene bucal. Todos temos, na boca, diversas bactérias que se alimentam dos resíduos alimentares de nossas refeições. Se essas bactérias não forem controladas por meio da higienização bucal, formam-se as chamadas placas bacterianas.

Com o tempo, esse biofilme vai degradando a superfície dos dentes. Se esse dano ao esmalte não é tratado a tempo, pode alcançar as terminações nervosas, causando dor. Se a situação chegar a esse ponto, pode ser preciso realizar um tratamento de canal.

Siso

Os terceiros molares (também conhecidos como sisos) são os últimos dentes a nascer. E sabia que, com a evolução humana e com a própria mudança de nossos hábitos alimentares, esses dentes têm se tornado cada vez menos úteis? Por isso, muitas vezes, nem chegam a nascer.

Com tal adaptação evolutiva do corpo humano, o que acontece é que, muitas vezes, a boca nem está nem preparada para receber esses dentes, não havendo espaço na arcada para os sisos surgirem — ou, pior, eles podem erupcionar com inclinações diversas. Assim, quando começam a nascer, acabam forçando os demais dentes, o que causa dor.

O importante, nesse caso, é, assim que sentir qualquer incômodo, correr para se consultar com um dentista. Depois de uma avaliação cuidadosa, esse profissional conseguirá decidir sobre o melhor curso de ação. Pode ser que os sisos se ajustem depois de nascer? Sim. No entanto, caso eles estejam causando outros danos à boca, a remoção é a prática mais adotada.

Sensibilidade

A sensibilidade também é uma causa bastante comum de dor de dente, e ela pode acontecer tanto por um desgaste do esmalte como pela exposição da radicular ou pela erosão dental.

Esses processos tornam os dentes mais porosos e expõem a dentina, parte interior do dente, que é muito sensível. Essa condição é caracterizada por dores quando os dentes entram em contato com substâncias mais quentes ou frias que o normal. Aqui, as dores podem ser intensas, mas não são contínuas.

Fratura

A fratura também é um fator causador de dor no dente. Afinal, quando há uma lesão na região, pode ser que a dentina seja exposta, tornando o local mais sensível. O choque também pode causar complicações, como traumas na raiz ou nos tecidos de sustentação. Nesses casos, a identificação da origem da dor é mais fácil.

Periodontite

Geralmente, a periodontite é uma complicação da gengivite, que acontece devido à inflamação das gengivas pela falta de higienização adequada. Se não for tratada, essa inflamação pode se espalhar para os tecidos de sustentação dos dentes, caracterizando-se, então, como periodontite.

É preciso ter atenção, porque esse é um quadro que, caso não seja contido, vai se espalhando pela boca e pode levar a dores fortes quando a inflamação alcança a polpa do dente. Para não deixar chegar a esse ponto, realizar uma avaliação e acompanhamento com o dentista é fundamental.

Bruxismo

O bruxismo pode ser definido como o ato involuntário de apertar ou ranger os dentes. Isso pode até acontecer quando se está acordado, mas é mais comum ao dormir. Essa movimentação gera um grande atrito nos dentes, causando desgastes e até fraturas, dependendo da intensidade e força aplicadas. Com o tempo, a dentina pode ficar exposta, e a dor não deixa barato.

Powered by Rock Convert

Além disso, por mais que seja involuntário, esse excesso de força pode causar lesão nas estruturas de sustentação do dente, tornando a região mais sensível. Assim, as dores podem se espalhar não só para o dente, mas, também, para a gengiva e os músculos da face.

Abscessos nas raízes dos dentes

Os abscessos são uma infecção bacteriana que provoca acúmulo de pus no interior dos dentes, podendo causar bastante dor. O problema ocorre quando uma cárie antiga não é tratada de maneira correta ou quando uma fratura ou rachadura no dente permite que bactérias penetrem na polpa dentária, infectando-a.

Depois que os micro-organismos entram, eles se espalham até a raiz e provocam inchaço e inflamação. Quando isso acontece, o pus é empurrado para um local apertado na ponta da raiz. Em casos graves, a bactéria do abscesso pode ser levada pelo sangue, causando infecções em outras partes do corpo.

Sinusite odontogênica

Além do bruxismo e outros problemas na articulação da mandíbula, a dor no dente pode surgir devido à sinusite. Esse quadro é uma inflamação da mucosa que reveste as cavidades internas do rosto e pode aparecer em decorrência de uma infecção dentária.

Essa infecção é comum quando somos submetidos a alguns processos dentários, como cistos radiculares, doença periodontal, implantes, tratamento de canal e extração de dentes. A sinusite e a dor dental são interligadas, mas é fundamental ter um diagnóstico correto para que a saúde não seja comprometida.

Gengivite

Problemas com a higienização dentária estão diretamente relacionados à dor de dente. Isso também fica claro no caso da gengivite e de outros problemas que acometem a gengiva. A doença é provocada, principalmente, pelo acúmulo de placa bacteriana, sendo caracterizada pela inflamação da gengiva em primeiro estágio.

Se isso avançar, ela gera uma retração nas gengivas e expõe parte da raiz dentária, área que é bastante sensível às baixas e altas temperaturas e, também, a substâncias ácidas.

Além de provocar dor e retração, o problema pode evoluir para a periodontite, na qual parte do osso é reabsorvida, criando um espaço em relação ao dente, o que costuma inflamar e afeta os nervos, causando fortes dores.

Infecção grave na boca

Mesmo que não existam cáries, a dor de dente também acontece quando há uma infecção bucal ou no interior da linha das gengivas. Essa dor, particularmente uma constante palpitação, pode até ser provocada por um dente com abscesso ou rachado, embora não exista uma aparência externa da infecção.

Má oclusão dentária

Em uma condição normal, os dentes superiores precisam encobrir ligeiramente os inferiores. Qualquer alteração nesse mecanismo é conhecida como má oclusão dentária e pode proporcionar danos para os dentes, articulações, ligamentos, músculos, ossos e gengivas.

Embora, na maior parte das vezes, a má oclusão seja leve e não demande tratamento, há casos em que é muito acentuada, e o ideal é marcar uma consulta com um dentista para que ele possa indicar a melhor linha de ação.

Além da alteração na aparência, os sinais da má oclusão são difíceis de ser identificados, já que esse problema que surge ao longo do tempo, o que leva o indivíduo a se acostumar, deixando de perceber que os dentes estão alterados.

Os principais sintomas são dor, perda de dente, presença de cáries, desconforto ou dificuldade para mastigar ou morder e desgaste, o que faz com que os dentes não fiquem lisos no topo.

Como evitar a dor de dente?

A melhor maneira de se prevenir contra esse mal é mantendo sua higienização bucal em dia, já que a falta de limpeza adequada da região é sua principal causa. Sendo assim, trate de escovar os dentes depois de cada refeição — pelo menos, 3 vezes ao dia —, além de usar o fio dental diariamente.

A escova tira a placa bacteriana acumulada após as refeições, e o fio dental ajuda a remover restos alimentares de locais que a escova não alcança. Não tem como escapar: essas são práticas básicas para manter a boca saudável. Por isso, elas têm que se tornar rotina, combinado?

Além disso, outra questão importante é realizar visitas periódicas ao dentista. Com esse tipo de acompanhamento, é possível solucionar as causas de dor de dente antes que elas cheguem ao ponto de gerar tanto incômodo.

Agora que você já conhece as principais causas de dor de dente, não guarde essa informação só para si! Compartilhe este texto em suas redes sociais para que seus amigos também possam evitar esse mal!

Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário