Categoria

Matérias

Categoria

Mitos e verdades sobre alimentação infantil

Alimentar crianças é uma das tarefas mais árduas e importantes atribuídas aos pais. Além do desafio no dia a dia com os próprios pequenos, conseguir oferecer um cardápio equilibrado em meio a mil ideias que circulam por aí não é nada fácil. De fato, são inúmeras as opiniões sobre o que se deve (ou não) dar de comer. Quando ocorre um conflito de gerações, então, a cabeça dos pais dá um nó. Quem nunca ouviu frases como “no meu tempo era desse jeito”, ou “você cresceu tão bem comendo de tudo”? Nas últimas décadas, com o advento da internet, mitos sobre a alimentação tornaram-se cada vez mais comuns. Por isso, é importante desmistificar algumas “verdades absolutas”, saber o que realmente faz bem e aplicar a regra mais importante: o equilíbrio e o bom senso. Neste post, contribuímos para o esclarecimento do tema reunindo alguns mitos e verdades muito comuns no…

A importância do pré-natal para a uma gravidez tranquila

É incrível pensar que nem todas as gestantes realizam o pré-natal. Ainda que o tema seja bastante conhecido, a verdade é que ainda existem muitas mulheres que só procuram o ginecologista obstetra quando a gestação já está avançada. Isso não é nem um pouco recomendável. Afinal, o pré-natal é o acompanhamento médico, dedicado à gestante e ao bebê, que visa prevenir, orientar, esclarecer e diagnosticar qualquer alteração na saúde deles. Segundo o Ministério da Saúde, o pré-natal tem os seguintes objetivos, dentre outros. Preparar os pais, proporcionando informações sobre o parto e o cuidado com o bebê; Orientar psicologicamente a gestante para o período da maternidade; Fornecer orientações essenciais sobre hábitos de vida e higiene pré-natal; Orientar a gestante sobre uma alimentação apropriada e o uso de medicamentos; Fazer o diagnóstico precoce e o tratamento de doenças próprias da gestação ou que sejam intercorrências previsíveis dela. De forma resumida, portanto, a principal função…

Do planejamento à persistência: 10 dicas para parar de fumar

Parar de fumar é uma das tarefas mais complicadas que existem. Mesmo sabendo que o hábito faz muito mal, a maioria dos fumantes tem muita dificuldade para abandoná-lo. Isso acontece fundamentalmente pela dependência química e psicológica causada pelo cigarro. Do ponto de vista químico, a vilã é a nicotina, substância que chega ao cérebro em velocidade impressionante (até 10 segundos), estimula a circulação de dopamina e causa dependência rapidamente. O cigarro também causa dependência psicológica, seja por que se torna uma verdadeira válvula de escape para a ansiedade, seja por que hábitos como segurá-lo entre os dedos e combiná-lo com café se tornam parte indissociável da rotina. Médicos e familiares, porém, não “patrulham” os fumantes à toa. Se por um lado gera sensação de prazer, o cigarro também causa diversos danos ao organismo: compromete os pulmões; eleva a pressão arterial; favorece a formação de placas de gordura nas artérias; aumenta…

Como o cigarro afeta o coração (até o dos não fumantes)

Que o cigarro faz mal à saúde, isso todo mundo sabe. A maioria das pessoas, no entanto, costuma associá-lo apenas com doenças pulmonares, cansaço e alguns tipos de câncer. Acontece que o hábito de fumar é responsável por muitos outros riscos. Um dos mais graves é a relação, comprovada pela ciência, entre o tabagismo e o aumento da incidência de doenças cardiovasculares, como o infarto e o acidente vascular cerebral (AVC), simplesmente as duas maiores causas de morte no mundo. Conheça outros riscos associados ao tabagismo O risco dos fumantes é mesmo expressivo: o hábito de fumar entre os homens, por exemplo, aumenta as chances de infarto em até seis vezes em comparação com aqueles que não são tabagistas. E mais: quem fuma apenas um cigarro por dia corre os mesmos riscos, isso sem falar nos fumantes passivos, que mesmo sem acender um único cigarro estão sujeitos aos males que ele causa. Como…

Infarto em jovens é mais comum (e perigoso) do que você imagina

O infarto (ou ataque cardíaco) em jovens é bem menos frequente do que nos mais idosos, sobre isso não há dúvidas. Mas engana-se quem acha que ele é uma exclusividade dos mais velhos. Isso porque esse mal costuma ser mais perigoso e atingir cada vez mais gente dessa faixa etária. Dados do Ministério da Saúde mostram que em 2013 houve um aumento de 13% no número de infartos entre adultos de até 30 anos. Esse crescimento sugere que as pessoas nessa fase da vida estão cada vez mais expostas aos fatores de risco para doenças cardiovasculares. Outra pesquisa, também realizada pelo Ministério da Saúde, mostra que essa conclusão está correta: os jovens estão mesmo se alimentando muito mal, e cada vez mais sedentários – dois comportamentos, aliás, que aumentam muito as chances de eventos como o infarto. Conheça as principais doenças que afetam o coração Além disso, o ataque cardíaco…

Alimentos que previnem doenças do coração

As doenças cardiovasculares são as principais causadoras de óbitos no mundo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 16 milhões de pessoas morram por ano em decorrência desse tipo de mal. A boa notícia, por outro lado, é que uma alimentação adequada pode ajudar no combate aos principais fatores de risco associados a essas doenças. Portanto, quando uma pessoa escolhe determinados alimentos “amigos do coração”, diminuem as chances do surgimento de fatores como pressão alta (ou hipertensão arterial), diabetes, colesterol descontrolado e excesso de peso. Combater esses males é fundamental. Afinal, todos eles contribuem – e muito – para o desenvolvimento de diversas doenças cardiovasculares, como infarto, insuficiência cardíaca e acidente vascular cerebral (AVC). Entenda a relação entre colesterol alto e os riscos para o coração Conheça as principais doenças que afetam o coração. Felizmente não são poucos os alimentos que podemos incluir em uma dieta “cardioprotetora”. Entre outros,…

Conheça a Angina: dor no peito que indica problemas no coração

Dentre os sintomas que antecedem o infarto, a angina é o mais comum e um dos que mais incomodam. Diferente do que muitos pensam, no entanto, a angina não é uma doença, e sim um sinal de que o fluxo sanguíneo para o coração encontra-se reduzido. A angina, ou angina pectoris, portanto, costuma ser a consequência de uma enfermidade, a doença arterial coronária, caracterizada pelo acúmulo de placas de colesterol na parede dos vasos. Essa doença impede a passagem do sangue, o que acaba diminuindo a oferta de oxigênio e nutrientes para o coração, causando a angina. Entenda as causas da formação das placas de colesterol Entenda: a falta de oxigênio, também conhecida como isquemia, gera uma resposta imediata do coração: dor ou aperto forte, sentido no lado esquerdo do tórax, que costuma se irradiar para o braço esquerdo (ou ambos), pescoço ou até mesmo para a região superior do estômago. Outros sintomas…

Saiba como prevenir o infarto e outras doenças cardiovasculares

As doenças cardiovasculares, como o infarto e o acidente vascular cerebral (AVC), matam cerca de 300 mil brasileiros por ano, sendo a principal causa de morte no país. Tendo em vista a gravidade dos números, é natural e esperado que a medicina estude a fundo esse tipo de doença, suas causas e tratamentos. Talvez seja por isso que não existem muitas dúvidas sobre o que fazer para prevenir doenças cardiovasculares. Ao contrário, há total convicção de que vários dos fatores de risco, condições que aumentam a chance do aparecimento de uma doença, podem ser controlados por cada um de nós. São eles: fumo, alimentação inadequada, obesidade, falta de exercícios físicos, colesterol alterado, diabetes, pressão alta e estresse. Outros fatores, no entanto, como idade e história de doença cardíaca familiar, não podem ser mudados. Nesses casos, as pessoas devem, mais do que qualquer um, realizar visitas regulares ao cardiologista e fazer exames de…

Infarto: causas, sintomas e dicas para situações de emergência

Conhecido também como parada ou ataque cardíaco, o infarto agudo do miocárdio é o segundo maior causador de mortes por causas naturais no Brasil (fica atrás apenas do derrame cerebral). Todos os anos mais de 150 mil pessoas sofrem um infarto, sendo que 70 mil acabam falecendo. Mas, apesar de gravíssimo, o infarto pode ser prevenido na maioria dos casos, uma vez que seus fatores de risco são amplamente conhecidos. A maioria deles inclusive pode ser controlada ou evitada: fumo; obesidade; diabetes; hipertensão; colesterol alto; estresse; e vida sedentária. Importante: alguns fatores de risco são incontroláveis, como o histórico pessoal e familiar de doenças cardíacas. Nesse caso, mais do que em qualquer outro, a pessoa deve visitar um cardiologista ou clinico geral e fazer exames regularmente. Causas do infarto O infarto ocorre quando as artérias coronárias, que levam oxigênio e nutrientes ao coração, são obstruídas abruptamente. O fechamento desses vasos ocorre quando há…

11 Dicas para baixar o colesterol ruim

Todos os anos as doenças cardiovasculares fazem cerca de 3,5 milhões de vítimas em todo o Brasil. Este número alarmante poderia ser reduzido se as pessoas fizessem um controle correto do colesterol, um dos principais fatores de risco para ataques cardíacos e derrames. Esse alerta faz parte da campanha do Dia Nacional do Combate ao Colesterol, promovida pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), celebrado em 8 de agosto. Com o mote “Colesterol no alvo: abrace essa ideia e proteja seu coração”, a ação tem como objetivo conscientizar a população sobre a importância da adoção de hábitos saudáveis e do acompanhamento médico para o controle das taxas de colesterol. Acesse a página da SBEM e assista vídeos da campanha. Como forma de contribuir com essa mobilização, reunimos neste post algumas dicas que irão ajudar você a manter seus níveis de colesterol naturalmente, de acordo com as taxas recomendadas, mesmo…