As doenças cardiovasculares são as principais causadoras de óbitos no mundo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 16 milhões de pessoas morram por ano em decorrência desse tipo de mal. A boa notícia, por outro lado, é que uma alimentação adequada pode ajudar no combate aos principais fatores de risco associados a essas doenças.

Portanto, quando uma pessoa escolhe determinados alimentos “amigos do coração”, diminuem as chances do surgimento de fatores como pressão alta (ou hipertensão arterial), diabetes, colesterol descontrolado e excesso de peso.

Combater esses males é fundamental. Afinal, todos eles contribuem – e muito – para o desenvolvimento de diversas doenças cardiovasculares, como infarto, insuficiência cardíaca e acidente vascular cerebral (AVC).

Entenda a relação entre colesterol alto e os riscos para o coração

Conheça as principais doenças que afetam o coração.

Felizmente não são poucos os alimentos que podemos incluir em uma dieta “cardioprotetora”. Entre outros, podemos elencar sementes, oleaginosas, frutas, peixes, alguns tipos de carboidrato e até o chocolate amargo.

Por outro lado, nunca é demais lembrar, precisamos ficar muito atentos com as quantidades que ingerimos de sal, açúcar, gordura e álcool, os verdadeiros vilões – ao lado do estresse e do sedentarismo – quando o assunto é a saúde cardiovascular.

Alimentos bons para o coração

                Frutas: especialistas recomendam o consumo de três a cinco porções de frutas diariamente, algo difícil de ver nas casas brasileiras. Algumas delas são especialmente indicadas para a saúde do coração. Confira.

  • Açaí: oferece gorduras relacionadas à redução do colesterol ruim, mas é muito calórico e precisa ser consumido com moderação;
  • Jabuticaba: rica em flavonoides, que impedem a formação de coágulos e ajudam a reduzir a pressão arterial;
  • Laranja: é fonte de vitamina C, poderoso antioxidante que reforça a parede das artérias, além de ser rica em fibras solúveis, que ajudam no controle do colesterol;
  • Kiwi, morango e goiaba: também são fontes de vitamina C;
  • Abacate: essa fruta ajuda a reduzir o colesterol ruim e os triglicerídeos, além de ser rica em vitamina E, minerais e antioxidantes.

                Brócolis: fonte de vitamina C, ele também é rico em “bioflavonoides”, substância antioxidante que previne danos nas artérias. A presença de fibras ainda contribui para a redução dos níveis de colesterol.

                Azeite de oliva: o azeite, em especial o extravirgem, apresenta um efeito protetor contra uma série de doenças cardiovasculares, ajuda a diminuir o colesterol ruim (LDL) e a aumentar o bom (HDL). Isso ocorre graças à presença de antioxidantes e da gordura monoinsaturada ômega-9.

Powered by Rock Convert

                Oleaginosas: o nome é estranho, mas você conhece as oleaginosas: castanha de caju, castanha do Pará, nozes e avelãs estão entre as mais conhecidas. Elas são excelentes fontes de gorduras monoinsaturadas e poli-insaturadas, que protegem o coração, têm efeito anti-inflamatório e ajudam a controlar o colesterol.

Atenção: dê preferência às versões in natura, sem sal, uma vez que o sal já é muito consumido em outros alimentos e seu excesso é ruim para o coração. E, como são alimentos muito calóricos, consuma-os com moderação.

                Vinho tinto: fonte de antioxidantes que inibem a formação de placas de gordura nas artérias, o vinho (uma taça por dia, sem exageros) ajuda a prevenir o surgimento da aterosclerose e é considerado um aliado do coração.

Dica: se você não gosta de álcool, uma alternativa com benefícios similares é o suco de uva integral.

                Farelo da aveia: a aveia é fonte de uma fibra chamada “betaglucana”, que ajuda a melhorar a circulação, inibe a absorção de gordura e contribui para a diminuição da taxa de colesterol ruim (LDL). Use-a no café da manhã com frutas e iogurtes ou para fazer um bolo, por exemplo.

                Peixes ricos em ômega 3: esse ácido graxo promove uma verdadeira “faxina” nas artérias, reduzindo o colesterol ruim (LDL) e aumentando o bom (HDL). Encontrado principalmente em peixes como salmão, atum, sardinha, arenque e anchova, o ômega 3 é um aliado do coração.

                Chocolate amargo: esse tipo de chocolate, caracterizado por ter porcentagem de cacau acima de 70% (e menos gordura e açúcar que os tradicionais), é fonte de flavonoides, compostos antioxidantes que, como já dito, impedem a formação de coágulos e ajudam a reduzir a pressão arterial.

Curiosidade: pesquisa da Universidade da Pensilvânia (EUA) constatou que o consumo de 38 gramas de cacau em pó ou de chocolate amargo diariamente pode elevar o nível de colesterol bom em 4%.

                Grão-de-bico: além de ser isento de colesterol em sua composição, o grão-de-bico é rico em fibras que ajudam a eliminar o colesterol ruim (LDL) e a reduzir suas taxas. Saiba mais sobre seus benefícios.

                Tomate: o licopeno, presente em abundância no tomate, ajuda a “limpar” as paredes das artérias, prevenindo doenças cardiovasculares. Além disso, o potássio e as fibras presentes no tomate ajudam a reduzir a pressão arterial. Saiba mais sobre os benefícios do tomate.

Leia também: conheça os alimentos ideais e não indicados para diabéticos, pessoas com colesterol elevado e com hipertensão.

Powered by Rock Convert

Escreva um comentário

Share This